Warm Up #73 - A eleição acabou

Ivan Sant'Anna Publicado em 28/09/2018
3 min
E o mercado já sabe como se comportará o novo presidente

Nota do editor: Olá! Na edição desta sexta-feira, o Ivan diz por que as eleições já estão definidas e como o mercado captou a decisão do povo brasileiro. Se você ainda não sabe como aproveitar esse momento para potencializar seus retornos, confira na parte PRO. *Importante*: Você já reservou a sua edição exclusiva - e gratuita - do novo livro do Ivan? Acesse agora por aqui.


Caro leitor,

Calma, meus caros amigos leitores. Não se precipitem em tirar conclusões cabalísticas ao ler o título desta coluna. Quando digo que “a eleição acabou”, estou apenas fazendo sensacionalismo para atrair a atenção de vocês. Mas, que acabou, acabou. Pelo menos para o mercado.

Outro dia, quando citei resultados de pesquisas do Ibope e do Datafolha em uma das minhas crônicas, recebi mensagem de uma prima dizendo que não acredita em consultas por amostragem. Ou seja, ela não crê em estatísticas.

Respondi que já ganhei muito dinheiro com elas, o que é a pura verdade.

Um dos leitores da Warm Up Pro me disse que os institutos de pesquisa de intenção de votos não são confiáveis.

Contestei dizendo que a gente só sabe que o segundo turno será disputado pelos candidatos Jair Bolsonaro e Fernando Haddad por causa das pesquisas. Se elas não existissem, poderíamos até achar que o Geraldo Alckmin é o favorito, tantas vezes ele aparece na televisão dizendo que vai fazer isso e aquilo, que criará sei lá quantos milhões de empregos, milhares de creches, escolas profissionalizantes, etc.

Só que todos sabemos que ele não vai fazer nada do que promete, simplesmente porque estará fora do páreo em 7 de outubro, tal como acontece com Ciro Gomes e Marina Silva.

Agora, nas simulações de resultados do segundo turno, não duvido que haja manipulações de um ou outro instituto. Já vi Haddad bem na frente, assim como o Bolsonaro.

Se é que minhas suspeitas têm algum fundamento, posso garantir que, ao se aproximar o dia 28 de outubro, data decisiva, as pesquisas convergirão para a verdade, verdade essa que pode até ser um empate técnico entre Bolsonaro e Haddad. Nessa hipótese, a gente só vai saber do resultado após a apuração dos votos.

O mercado, essa entidade tão pouco compreendida e vilipendiada, é, em seu conjunto, muito mais esperto do que os indivíduos. Já se convenceu que nem Fernando Haddad nem Jair Bolsonaro irão jogar contra o país. Assimilou que tanto um quanto o outro vão ter de fazer as reformas necessárias se quiserem ficar quatro anos no poder sem ter de administrar uma crise após a outra.

Ou se escondendo do povo, que nem Dilma e Temer.

Por isso, a Bolsa vem subindo e ontem o dólar rompeu o suporte psicológico de quatro reais.

A conclusão é óbvia:

Como, para efeitos de mercado, a eleição já acabou, sugiro aos caros leitores que comprem ... (para saber, acesse a Warm Up PRO no botão abaixo)


Gostou dessa newsletter? Então me escreva contando a sua opinião no warmup@inversapub.com.
  
Um abraço,

Ivan Sant'Anna

A Inversa é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Antonyo Giannini, CNPI EM-2476

Conteúdo protegido contra cópia