Warm Up #304 - Como sobreviver e lucrar com cisnes negros

Mark Ford Publicado em 20/05/2020
6 min
Nosso sócio norte-americano Mark Ford compartilha com você todos os passos necessários para estar preparado quando fatos imprevisíveis ocorrerem

Há muitos anos, Nassim Taleb lançou um livro bestseller intitulado “Antifrágil: Coisas que se Beneficiam com o Caos”. Talvez você já tenha lido. Se ainda não, recomendo. É um daqueles livros raros que presenteiam o leitor com um banquete de ideias deliciosas – eu saboreei cada página.

O argumento de Taleb é que as pessoas subestimam o quanto há de aleatoriedade na vida e que os eventos mais importantes são frequentemente imprevisíveis. No entanto, é possível não apenas proteger-se destes acontecimentos, mas também beneficiar-se deles, ao ser “antifrágil”.

Se eu não tivesse lido Taleb, com certeza teria resistido a suas ideias. Não gosto da ideia de que não é possível prever eventos importantes. Prefiro pensar que, se você possui dados disponíveis e poder computacional suficiente, você pode.

Mas Taleb é um pensador ágil e um escritor convincente. Em “Antifrágil”, ele adota a ideia do “cisne negro”. Ele argumenta que há algumas coisas na vida que nós podemos prever e outras não.

Em contrapartida, o que podemos fazer é verificar se algo pode ser destruído por um evento imprevisível. Um vaso de vidro, por exemplo, tem grandes chances de ser destruído durante um terremoto. Por sua vez, um urso de pelúcia tem uma probabilidade maior de sobreviver.

Podemos encontrar maneiras de fazer nossas ações, práticas e bens serem mais fortes, com maior probabilidade de sobreviver a eventos catastróficos. Algo melhor ainda que podemos fazer – e essa é a mensagem central de “Antifrágil” – é encontrar maneiras de lucrar com a ocorrência de um cisne negro.

A tese de Taleb é que quando se trata de economia (entre outras coisas), nós devemos fazer coisas que nos tornem “antifrágeis” perante um desastre econômico. Isso é mais útil do que tentar prever catástrofes.

Eu tenho certeza que você está pensando que “isso é apenas usar o bom senso”… Mas como Taleb afirma em “Antifrágil”, isso é o oposto do que bancos centrais e muitos especialistas fazem.

Alguns escritores de Finanças, por exemplo, passam suas carreiras tentando projetar como certos eventos políticos e econômicos podem prever os altos de baixos do mercado. Outros – como os analistas técnicos – fazem previsões com base em padrões que observaram no passado.

Como investidor, você tem uma escolha. Concordar com a ideia de que os mercados podem ser cronometrados e procurar os melhores modelos para prevê-los. Ou aceitar a tese de Taleb e se tornar um investidor “antifrágil”.

Proteção Contra Cisnes Negros


Eu pouco sabia sobre teoria de riscos quando, por volta dos meus 30 anos, decidi me tornar rico. Mas mesmo nessa época, eu entendi que previsões financeiras raramente pareciam se tornar realidade, mesmo quando elas eram embasadas com argumentos convincentes.

Então, ao invés de tentar me tornar um especialista em economia ou nos mercados financeiros, eu fiz um plano prático através do qual esperava que me permitisse enriquecer sem previsões. Eu vejo hoje que esse meu plano tinha como objetivo me tornar “antifrágil”.

Eu comprei títulos seguros, fundos indexados e imóveis. Em alguns momentos comprei ouro também, não como um meio de enriquecer (o que acabou acontecendo depois), mas como uma reserva de dinheiro e proteção contra inflação.

E colecionei arte pelo mesmo motivo. Percebi que o valor da minha arte poderia aumentar enquanto outros ativos se desvalorizavam.

E, no meio disso tudo, continuei investindo em pequenos negócios que eu entendia e podia controlar como acionista-chave. Esta atitude me deu não só a oportunidade de aumentar meu patrimônio, mas também um fluxo recorrente de renda.

Meu plano, em outras palavras, era mais sobre o que eu sabia que estava acontecendo no momento do que o que achava que ia acontecer no futuro.

Eu comprei ouro porque estava lendo conteúdos do Bill Bonner. Isso no tempo em que o ouro era negociado a US$ 450 a onça. Sem ouro no meu portfólio, me sentia frágil. Então comprei moedas de ouro, não para lucrar com uma alta do preço, mas para me proteger.

Da mesma forma, sai do negócio de aluguel de imóveis quando os preços estavam ficando muito elevados. Todos tinham certeza que os preços continuariam subindo. Eu não estava certo. Mas se realmente caíssem – como alguns estudiosos previam à época – eu queria estar seguro. Então sai do mercado por volta de 2006.

Comprar ouro me custou dinheiro. Eu vi como um prêmio de seguro. E um prêmio barato. Sair do mercado imobiliário fez eu sentir como se estivesse desistindo de ganhos futuros. Mas eu considerei isso, também, um tipo de prêmio – proteger os ganhos que eu já tinha conseguido com as propriedades que possuía.

Usando termos de Taleb, comprar ouro e vender imóveis eram ações para me deixar menos frágil.

As Melhores Maneiras de Conquistar Antifragilidade Financeira


1) Diversifique os investimentos em quatro (ou mais) das seguintes categorias: caixa, títulos, ações, ouro, opções e aluguel de imóveis.

2) Invista em qualidade, em ações pagadoras de dividendos. Eu as definiria “antifrágeis” por causa da abordagem de longo prazo, pela prática de comprar mais ações em momentos de baixa do mercado, além do fato deste tipo de ações subir rápido depois de quedas.

3) Crie um plano de recomeço e um colchão de liquidez com a quantia de, pelo menos, seis meses de sua renda. Deve ser suficiente para cobrir os custos estimados para “começar de novo”.

4) Desenvolva seus ativos geradores de caixa (opções, ações, títulos e imóveis de aluguel) para que, com o tempo, cada um proporcione a você uma boa renda anual. 

5) Não desista de sua renda ativa. Se você não está empregado agora, tente arrumar um trabalho, mesmo se o salário for baixo.

6) Esconda parte, ou todo seu dinheiro, focado no plano de “começar de novo”.

7) Se você não possui um negócio, construa ou invista em um. Esteja certo de que é um negócio que você entenda e sobre o qual você possa ter certo controle.

8) Contrate seguros – mas apenas aqueles que você realmente precisa – para proteger sua saúde, sua casa e todos os seus bens de valor.

9) Aprenda sobre as realidades de roubo de identidade e defenda-se de acordo.

10) Obtenha proteções de privacidade para todas suas atividades na internet.

Eu espero que você dê esses passos para se tornar antifrágil também.

Bons investimentos,

Mark.

A Inversa é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Antonyo Giannini, CNPI EM-2476

Conteúdo protegido contra cópia