Warm Up #198 - Menos é mais, um FoF pra você

José Castro e Mateus Fontanini Publicado em 24/05/2019
3 min
Impulsionados pela taxa de juros mais baixa da história, os fundos imobiliários vêm mostrando valorização consistente e abrem novas oportunidades.

Prezado leitor,

Índice de Atividade Econômica do Banco Central do Brasil (IBC-Br) é um indicador criado para tentar antecipar o resultado do Produto Interno Bruto (PIB). Serve de parâmetro de avaliação do ritmo de crescimento da economia brasileira ao longo dos meses.

O IBC-Br, divulgado na semana passada, caiu em março pelo terceiro mês consecutivo, recuando 0,28% frente a fevereiro. No trimestre, a retração foi de 0,68%. Já no comparativo com março de 2018, o recuo foi ainda pior, 2,52%.

Os dados carimbaram o argumento defendido pelo Banco Central de uma possível retração do PIB no primeiro trimestre.

Com a economia engatinhando e a inflação controlada, aumenta-se a pressão para um corte dos juros (taxa Selic) na próxima reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), marcada para os dias 18 e 19 de junho.

Historicamente, a redução da taxa básica de juros (Selic) propicia a valorização das cotas dos fundos imobiliários, onde o custo de oportunidade dos seus rendimentos mensais se torna ainda mais atrativo do que o de investimentos tradicionais de renda fixa.

Além disso, há o benefício fiscal, com isenção de imposto de renda (IR) sobre os rendimentos da pessoa física que possuir menos de 10% das cotas do fundo.

Observe no gráfico abaixo a queda da taxa de juros (linha verde): de 14,25%, em 2016, para os atuais 6,5%. Na direção oposta, verificamos a forte valorização do IFIX, indicador do desempenho médio das cotações dos fundos imobiliários negociados nos mercados de Bolsa e de balcão organizado da B3:

Comentamos repetidamente que prezamos muito pela diversificação como forma de obter melhores resultados e minimizar riscos.

Com base nisso, estudamos e encontramos uma maneira que você pode investir em diversos fundos imobiliários, de forma simples e barata, com apenas um ativo na sua carteira.

Mas como fazer isso?

Você pode investir através de um Fundo de Fundos (FoF). A sigla FoF vem do inglês Fund of Funds e significa fundo que compra cotas de outros fundos.

Quando um investidor decide por aplicar seu dinheiro em um FoF, ele consegue acessar vários ativos por meio de um único instrumento.

Ou seja, é a forma perfeita para você diversificar seu portfólio de fundos imobiliários e se beneficiar da recuperação impulsionada pela queda dos juros.

Gostou dessa newsletter? Então me escreva contando a sua opinião no warmup@inversapub.com.

Um abraço,

José Castro e Mateus Fontanini

A Inversa é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Antonyo Giannini, CNPI EM-2476

Conteúdo protegido contra cópia