Warm Up #171 - Renda extra!

Flavia Bohone Publicado em 05/04/2019
3 min
Investir pensando em renda extra é o objetivo de muitas pessoas. Entenda mais sobre o assunto nessa newsletter

Nota do editor: Na Warm Up de hoje, o Ivan fala sobre a importância do ministro da Economia, Paulo Guedes, que vem conseguindo defender a reforma da Previdência, enquanto o presidente, Jair Bolsonaro, coleciona gafes. Na parte PRO, ele fala sobre um investimento indicado para o caso de uma mudança repentina no cenário. Clique aqui para liberar o acesso à área exclusiva para assinantes.

 

Caro leitor,

Investir pensando em construir uma nova fonte de renda, e não apenas em aumentar o patrimônio, é um dos objetivos de muitas pessoas que começam a aplicar parte de seus recursos, de olho na liberdade financeira.

Essa meta passou a ser ainda mais relevante desde que as discussões sobre a reforma da Previdência ganharam corpo. Afinal, até o momento ainda não sabemos qual será a versão final do texto, mas muitos já enxergam a necessidade de um complemento à renda.

Aliás, necessidade esta que independe da nova versão da Previdência, já que mesmo hoje o teto da aposentadoria muitas vezes ficará inferior ao padrão de vida alcançado até a idade de pendurar as chuteiras.

Bom, o que importa é que qualquer que seja a alteração das regras para a aposentadoria, ter uma renda adicional é algo sempre muito bem-vindo.

O difícil, no entanto, é saber como investir para atingir esse objetivo.

A verdade é que o mercado financeiro apresenta diversas possibilidades para isso. Com instrumentos mais ou menos arriscados e mais complexos ou mais simples.

Difícil não pensar em imóveis quando falamos em renda. Afinal, você pode comprar imóveis e alugar, gerando assim uma renda adicional.

“Mas como assim? Agora preciso ter uma fortuna e sair comprando diversos imóveis para ter uma renda adicional?”, talvez você esteja esbravejando.

Calma! É possível investir em imóveis para gerar renda sem ter que comprar imóveis, e com muito menos dinheiro.

Uma das formas mais populares e simples de investimento em imóveis, pensando em geração de renda, é por meio dos Fundos de Investimento Imobiliário (FII).

Basicamente, como o nome sugere, o FII engloba recursos destinados ao investimento em ativos relacionados ao mercado imobiliário.

Desta forma, o montante captado na venda das cotas do fundo pode ser usado na aquisição de imóveis, assim como na compra de títulos e valores mobiliários ligados ao setor imobiliário, como cotas de outros FIIs, Letra de Crédito Imobiliário (LCI), Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI), etc.

Para aplicar nesses fundos, o procedimento é semelhante ao de compra de ações e a aquisição das cotas é feita por meio do Home Broker da sua corretora ou banco.

Mas como escolher? Bom, primeiro você pode decidir que tipo de FII quer. Sim, existem alguns perfis diferentes e os mais populares são os FIIs de papel e os de tijolo.

Não e preocupe, pois não é tão confuso e esses “apelidos” até ajudam a compreensão.

Basicamente, o FII de papel investe mais em recebíveis, ou seja, em papéis do setor imobiliário. Já o FII de tijolo investe em imóveis físicos.

Para quem está começando, nossos especialistas indicam um FII de cada perfil, de forma a aproveitar o que as duas categorias têm de vantagem a oferecer. Abaixo, eu falo um pouco mais sobre dois FIIs selecionados pela nossa equipe.

Gostou dessa newsletter? Então me escreva contando a sua opinião no warmup@inversapub.com.

Um abraço,

Flavia Bohone

A Inversa é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Antonyo Giannini, CNPI EM-2476

Conteúdo protegido contra cópia