Warm Up #136 - A Bolsa é para todos

Ivan Sant'Anna Publicado em 01/02/2019
3 min
O Ibovespa se aproxima dos 100 mil pontos e o José Castro mostra os motivos de tanto otimismo. Veja como aproveitar esse movimento

 

Caro leitor,

A menos de 2% para os inéditos 100 mil pontos do Ibovespa, quem ainda não entrou na Bolsa começa a se questionar se perdeu o “bonde” ou se ainda dá tempo de investir em ações.

Apenas no primeiro mês do ano, o Ibovespa avançou quase 11% e na próxima semana vai alcançar os sonhados 100 mil pontos. Acredito que esse seja apenas o início de um grande ciclo de alta que estamos vivenciando.

Temos alguns gatilhos importantíssimos para alta da Bolsa já nesse primeiro semestre do novo governo, dentre eles:

Reforma da Previdência na primeira quinzena de fevereiro, que não basta apenas ser aprovada, precisa passar de forma robusta e que solucione o problema definitivamente. Por outro lado, uma reforma da Previdência “magra” será mal interpretada pelo mercado.

Cessão Onerosa: o contrato original de cessão onerosa é de 2010. A União, que é dona do petróleo, cedeu à Petrobras o direito de explorar um volume máximo de 5 bilhões de barris de petróleo equivalente (óleo e gás) das áreas do pré-sal, ao custo de R$ 74,8 bilhões.

Porém, estudos estimaram que há um volume maior de óleo acima dos 5 bilhões de barris inicialmente estimados. Esse excedente oscila entre 6 bilhões e 15 bilhões de barris, estimados no fim de 2017.  

O que está em pauta agora no Congresso é um novo contrato de cessão onerosa e o projeto de lei que abre caminho para que aconteça o leilão das áreas excedentes do pré-sal.

Os valores movimentados pelo leilão são estimados em mais de R$ 100 bilhões, recursos que entrariam para o caixa do governo e seriam fundamentais para fechar o orçamento de 2019 sem déficit das contas públicas.

Privatizações: o secretário especial de desestatização e desinvestimento do Ministério da Economia, Salim Mattar, disse a um grupo de investidores na última terça-feira (29) que o governo quer privatizar 131 das 134 estatais brasileiras e que só devem ficar sob o comando do governo federal o Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e a Petrobras.    

Já Paulo Guedes, ministro da Economia, tem sido incisivo em seus discursos reiterando o compromisso fiscal, a vontade de reduzir de 34% para 15% os impostos para as empresas e a intenção de zerar o déficit público ainda esse ano.

O importante neste momento é que sabemos o caminho para solução dos nossos problemas econômicos, apesar de desafiadores. Claro que não existem apenas estes problemas, porém voltar a ter uma economia saudável é o pilar principal para ajudar a resolver todos os outros que envolvem a questão social, de segurança, educação, etc.

Por essas e outras estou muito otimista com 2019.   

Portanto, não perca mais tempo, não fique de fora dessa oportunidade que está passando pela sua frente, investir em ações é para todos!

Gostou dessa newsletter? Então me escreva contando a sua opinião no warmup@inversapub.com.

Um abraço,

Ivan Sant'Anna

A Inversa é uma Casa de Análise regularmente constituída e credenciada perante CVM e APIMEC.

Todos os nossos profissionais cumprem as regras, diretrizes e procedimentos internos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Instrução 598, e pelas Políticas Internas estabelecidas pelos Departamentos Jurídico e de Compliance da Inversa.

A responsabilidade pelas publicações que contenham análises de valores mobiliários é atribuída a Felipe Paletta, profissional certificado e credenciado perante a APIMEC.

Nossas funções são desempenhadas com absoluta independência, não sendo dotadas de quaisquer conflitos de interesse, e sempre comprometidas na busca por informações idôneas e fidedignas visando fomentar o debate e a educação financeira de nossos destinatários.

O conteúdo da Inversa não representa quaisquer ofertas de negociação de valores mobiliários e/ou outros instrumentos financeiros. Os destinatários devem, portanto, desenvolver as suas próprias avaliações.

Todo o material está protegido pela Lei de Direitos Autorais e é de uso exclusivo de seu destinatário, sendo vedada a sua reprodução ou distribuição, seja no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa, sob pena de sanções nas esferas cível e criminal.  

Conteúdo protegido contra cópia