Warm Up #130 - Desmistificando o Mito

Ivan Sant'Anna Publicado em 22/01/2019
3 min
O investidor pragmático

 

Caro leitor,

Assim que regressar de Davos, o presidente Jair Bolsonaro irá se internar no hospital Albert Einstein, em São Paulo, para retirada da bolsa de colostomia, incômodo que vem portando (com notáveis paciência e conformismo) desde setembro do ano passado, após a facada em Juiz de Fora que quase lhe custou a vida.

A nova cirurgia acontecerá na próxima segunda-feira, 28 de janeiro. Não é uma coisa muito simples, já que terá a duração de três horas. Após a intervenção, o presidente precisará ficar em repouso absoluto (repouso bolsonariano, diga-se de passagem) durante 10 dias.

Sendo assim, quando a administração começar para valer, a nova Legislatura já terá assumido suas cadeiras no Congresso. Os presidentes da Câmara dos Deputados (aposto em Rodrigo Maia) e do Senado (meu palpite é Renan Calheiros) estarão eleitos.      

Por sua vez, o ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello terá autorizado a retomada das investigações das atividades bancárias do senador Flávio Bolsonaro.

“Processo não tem capa, tem conteúdo”, já revelou o magistrado, meio que antecipando seu voto.

A verdade é que o affair Bolsonaro/Fabrício Queiroz desmistificou o Mito. E, em se tratando de negociações com o Congresso, quando é preciso sentar, figurativamente, no colo de pessoas como Maia e Calheiros, ser de carne e osso é bom.

Renan e Rodrigo (ou seus equivalentes – não posso me esquecer que ainda não houve a eleição), que já devem ter belos pés-de-meia e polpudas aposentadorias mais do que garantidos, estão pouco se lixando para temas como idade mínima, regras de transição, tempo de serviço, etc.

Eles querem mesmo é saber de poder, influência. Carros oficiais, jatinhos da FAB, lugar de honra nos palanques. De entrar no palácio do Planalto de peito erguido e subir direto para o terceiro andar. E não de ser capacho de Mito.

Se essa turma é cínica, mais cínico sou eu. Ou pragmático, se preferem suavizar o adjetivo. Aos 78 anos de idade, e com uma aposentadoria que mal dá para pagar o plano de saúde, quero que as reformas (previdenciária, trabalhista, administrativa e tributária) sejam aprovadas. Seja por intermédio do Mito ou dos Renans, Jucás (oops, esse já foi), Aécios, Tiriricas e quem mais o eleitor cismou em pôr nas cuias do Congresso Nacional.

Espero há anos por isso. E mesmo que essas mudanças pouco influenciem minha vida, gostaria de vê-las acontecer. Chega de ver o Brasil com a lanterna na popa.

Gostou dessa newsletter? Então me escreva contando a sua opinião no warmup@inversapub.com.

Um abraço,

Ivan Sant'Anna.

A Inversa é uma Casa de Análise regularmente constituída e credenciada perante CVM e APIMEC.

Todos os nossos profissionais cumprem as regras, diretrizes e procedimentos internos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Instrução 598, e pelas Políticas Internas estabelecidas pelos Departamentos Jurídico e de Compliance da Inversa.

A responsabilidade pelas publicações que contenham análises de valores mobiliários é atribuída a Felipe Paletta, profissional certificado e credenciado perante a APIMEC.

Nossas funções são desempenhadas com absoluta independência, não sendo dotadas de quaisquer conflitos de interesse, e sempre comprometidas na busca por informações idôneas e fidedignas visando fomentar o debate e a educação financeira de nossos destinatários.

O conteúdo da Inversa não representa quaisquer ofertas de negociação de valores mobiliários e/ou outros instrumentos financeiros. Os destinatários devem, portanto, desenvolver as suas próprias avaliações.

Todo o material está protegido pela Lei de Direitos Autorais e é de uso exclusivo de seu destinatário, sendo vedada a sua reprodução ou distribuição, seja no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa, sob pena de sanções nas esferas cível e criminal.  

Conteúdo protegido contra cópia