Warm Up #125 - Em busca das menores taxas

José Castro e Mateus Fontanini Publicado em 11/01/2019
1 min
Rendimento maior

Caro leitor,

No fim do ano passado, o Tesouro Nacional anunciou um corte na taxa de custódia dos títulos do Tesouro Direto que pode levar a um rendimento adicional de R$ 26 bilhões para os investidores desses títulos públicos. Mas o que isso significa para você que investe em fundos DI de baixa taxa de administração?

Lembre-se que esse tipo de investimento é essencial para formar seu colchão de emergência e por isso é importante que tenha a melhor taxa para garantir mais retorno no cenário de baixo risco.

Por isso, nós fizemos um estudo sobe os impactos do corte na taxa de custódia – de 0,30% para 0,25% ao ano – para avaliarmos em que cenário investir diretamente no Tesouro Direto poderia ser mais vantajoso do que aplicar em fundos com baixa taxa de administração que já indicamos em edições passadas.

Um abraço,

José Castro e Mateus Fontanini

A Inversa é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Antonyo Giannini, CNPI EM-2476

Conteúdo protegido contra cópia