Warm Up #121 - O ciclo é de alta

George Chen e Felipe Paletta Publicado em 04/01/2019
3 min
Por que tanto otimismo?

Nota do editor: Na Warm Up PRO desta sexta-feira, o George Chen detalha os motivos que devem continuar impulsionando o mercado acionário e indica um ativo para surfar a onda de ganhos da Bolsa. Aproveitando esse momento favorável, clique aqui e veja as 3 ações que nossa equipe identificou com potencial para disparar na Bolsa este ano. 


Caro leitor,

Na Warm Up PRO de sexta-feira passada eu disse que estava otimista em relação ao que está por vir para a Bolsa e que apresentaria a você os motivos que sustentam minha tese. Além disso, disse que sugeriria um bom ativo para surfar esta onda e, por coincidência ou não, o Ibovespa subiu 7% desde a minha última participação na newsletter.

Bom, sem mais delongas, eu e meu assistente, Felipe Paletta, apresentamos abaixo os quatro principais motivos que sustentam o nosso otimismo em relação ao mercado de capitais brasileiro. Ao final, eu comento sobre um ativo para surfar os ganhos da Bolsa.

1. O Brasil está em um ciclo econômico de alta. A economia, assim como a Bolsa, se comporta em forma de ciclos. Em um momento de alta, os preços sobem, basicamente porque a economia está aquecida pela expansão do consumo, do crédito e dos investimentos, porém, obviamente, não tem como esta alta ser infinita. O ciclo de alta termina quando os preços atingem níveis perigosos, forçando o governo a elevar a taxa de juros e arrefecer o consumo e, neste ponto, as empresas e os indivíduos já estão altamente endividados (porque consumiram muito crédito no ciclo de alta) e vão ter que arcar com uma dívida mais pesada para pagar (início da alta de juros). Isso nos leva ao início do ciclo de baixa.

Pois bem, o Brasil está atualmente com um crescimento de PIB e consumo pífios, além de uma taxa de inflação baixíssima (ou até deflação), amparada no elevado nível de desemprego. Esse cenário vem garantindo a manutenção da taxa de juros brasileira em seu menor nível histórico (6,5%). Isso me faz acreditar que o Brasil está no vale do ciclo, e só agora começa a entrar na fase de alta.

Traçando um paralelo, acredito que os Estados Unidos estão próximos do pico do ciclo e agora estão entrando na fase de baixa. Veja bem, a economia está aquecidíssima lá, com elevado nível de consumo, pleno emprego e previsões de crescimento do PIB perto dos 3%. Mais ainda, os indivíduos e empresas se encontram altamente endividados e vão ter que, agora, arcar com um custo de dívida mais elevado – o Federal Reserve está elevando os juros para arrefecer a alta dos preços.

Tire suas próprias conclusões, mas eu preferiria estar comprado em Ibovespa do que em S&P neste momento.

Clique aqui para acessar o conteúdo exclusivo para assinantes e veja o que os especialistas da Inversa pensam sobre os mercados no momento.

Gostou dessa newsletter? Então me escreva contando a sua opinião no  warmup@inversapub.com.

Um abraço,

Ivan Sant'Anna

A Inversa é uma Casa de Análise regularmente constituída e credenciada perante CVM e APIMEC.

Todos os nossos profissionais cumprem as regras, diretrizes e procedimentos internos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Instrução 598, e pelas Políticas Internas estabelecidas pelos Departamentos Jurídico e de Compliance da Inversa.

A responsabilidade pelas publicações que contenham análises de valores mobiliários é atribuída a Felipe Paletta, profissional certificado e credenciado perante a APIMEC.

Nossas funções são desempenhadas com absoluta independência, não sendo dotadas de quaisquer conflitos de interesse, e sempre comprometidas na busca por informações idôneas e fidedignas visando fomentar o debate e a educação financeira de nossos destinatários.

O conteúdo da Inversa não representa quaisquer ofertas de negociação de valores mobiliários e/ou outros instrumentos financeiros. Os destinatários devem, portanto, desenvolver as suas próprias avaliações.

Todo o material está protegido pela Lei de Direitos Autorais e é de uso exclusivo de seu destinatário, sendo vedada a sua reprodução ou distribuição, seja no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa, sob pena de sanções nas esferas cível e criminal.  

Conteúdo protegido contra cópia