Warm Up #107 - Extra! Extra! Extra!

Ivan Sant'Anna Publicado em 05/12/2018
3 min
Volta, touro!

Nota do editor: Nesta edição, o Ivan fala sobre os acontecimentos necessários para dar o fôlego que o Ibovespa precisa para manter-se acima dos 90 mil pontos. Já na parte PRO ele comenta sobre o comportamento do investidor nesse período. Clique aqui e descubra o que pensa um dos maiores traders do país.


Caro leitor,

Após fazer uma máxima de todos os tempos, a 91.242 pontos, o Ibovespa recuou abaixo de 90.000.

Para que o caro amigo leitor entenda melhor o que está acontecendo, vou dar minha opinião sobre esses momentos de grande importância técnica e psicológica.

Um bull market precisa ser constantemente alimentado por novas notícias bullish para continuar subindo. Quem vive de passado é museu.

Existem marcos (no caso atual, a marca redonda de 90.000 pontos) nos quais o mercado deriva ou acumula, o que deve ser observado atentamente por investidores e traders profissionais.

Quando, como tudo indica que foi o caso desta vez, o Ibovespa vai fazendo novas (mas insignificantes) máximas, isso quer dizer que a Bolsa está derivando. Os últimos otimistas já compraram e aguardam outros parceiros, parceiros esses que, para se materializarem, têm de ser alimentados por fatos novos.

Como tais fatos não aconteceram, o índice recuou. Agora, para que receba outro empuxo (nova manada de touros), é essencial que ocorra algo como:

“Extra! Extra! Extra! Jair Bolsonaro declara que, nos primeiros dias de governo, irá enviar ao Congresso uma PEC propondo o fim de todos os incentivos fiscais e a fixação da idade mínima de 65 anos de idade para homens e mulheres se aposentarem.”

Ou então:

“Extra! Extra! Extra! Jair Bolsonaro decidiu privatizar a Caixa Econômica Federal, o Banco do Brasil, a Petrobras e a Eletrobras.”

Nas hipóteses (até agora aparentemente improváveis) acima, em vez do Ibovespa derivar em 90.000, ele, após uma acumulação de duas semanas nesse nível, dispararia em direção a altitudes ionosféricas.

Mesmo assim, para que isso aconteça, é preciso que o Dow Jones pare de se liquefazer.

Alguns traders são grafistas. Olham apenas as figuras: suportes, resistências, canais de alta ou de baixa, etc. Outros, fundamentalistas. Estudam a situação de cada ativo para decidir se vale a pena ficar long ou short.

Não custa nada ser um pouco de cada coisa. Grafista e fundamentalista.

Fato consumado: Jair Bolsonaro venceu as eleições.

Fato consumado: Jair Bolsonaro é a favor da livre iniciativa.

Fato consumado: Jair Bolsonaro quer diminuir o tamanho do governo.

Os três fundamentos acima explicam porque o índice subiu tanto, de 82.321, no último dia útil antes do primeiro turno das eleições presidenciais, até 91.242, máxima intradia de anteontem.

Gostou dessa newsletter? Então me escreva contando a sua opinião no warmup@inversapub.com.

Um abraço,

Ivan Sant'Anna

A Inversa é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Antonyo Giannini, CNPI EM-2476

Conteúdo protegido contra cópia