Seja bem-vindo!

Faça o login com sua conta e aproveite seus conteúdos exclusivos.

Entrar agora

Ainda não é cadastrado?

Crie sua conta

Jackson Hole - A cúpula dos banqueiros

Rodrigo Natali Publicado em 19/07/2021
5 min
Você já ouviu falar no Simpósio Econômico de Jackson Hole? É o evento mais importante para o mercado financeiro mundial. Hoje, vamos explicar como ele pode impactar o mercado nos próximos meses.

 

Jackson Hole - A cúpula dos banqueiros

Por Rodrigo Natali

 

Você já ouviu falar no Simpósio Econômico de Jackson Hole?

É o evento mais importante para o mercado financeiro mundial, que ocorre anualmente na estação de esqui Jackson Hole, no estado norte-americano de Wyoming.

Este ano, o simpósio está previsto para acontecer de 26 a 28 de agosto.

O que acontece lá?

Oficialmente, desde 1978, a filial regional do Banco Central dos EUA, o FED de Kansas, escolhe um tópico a ser debatido em fórum aberto e, durante o evento, diversos participantes proeminentes do mercado têm a chance de sentar-se com os formuladores da política monetária, fora a possibilidade de se reunirem anualmente.

É possível afirmar que, dado o protagonismo americano nos rumos da política monetária mundial, esse encontro é mais importante que a famosa reunião anual dos Ministros das Finanças dos países do G-10 em Davos, na Suíça.

Muita coisa mudou desde o formato original; hoje, o evento ocorre durante dias, com apresentações paralelas de quase todos os grandes bancos e fundos, que apresentam suas teses de investimento para o próximo ano em reuniões a portas fechadas com gestores que controlam trilhões de dólares em patrimônio de terceiros, além de CEOs de todos os grandes bancos americanos e internacionais.

Ao final da semana, o FED solta um comunicado com suas diretrizes para a política monetária para os próximos meses. 

No ano passado, o destaque foi o direcionamento de que os governos não deveriam deixar apenas para seus bancos centrais a função de estimular a economia; eles deveriam dividir o protagonismo através de estímulos diretos, como programas de redistribuição de renda, e indiretos, como pacotes de estímulo econômico baseado na modernização de infraestrutura. 

Para você ter uma ideia, as causas desse direcionamento foram tão grandes que foram capazes não só de reativar a economia nos EUA – este ano, possivelmente teremos um crescimento do PIB de mais de 5%, o mais alto em mais de duas décadas -, como também trouxeram alguns efeitos indesejados, como as taxas de inflação mais altas dos últimos 15 anos.

E é com esse cenário (bastante complicado, diga-se de passagem), em um mundo vivendo uma situação totalmente única, onde existe uma pressão para que o FED comece a tirar o pé do acelerador monetário, que iremos para Jackson Hole no próximo mês.

O que sairá de lá vai ditar os próximos passos do FED e, consequentemente, de outros bancos centrais, influenciando diretamente o mercado, principalmente seus grandes players.

Vamos acompanhar com você os próximos passos, monitorar quais serão os principais temas discutidos nesse grande evento e, principalmente, quais as chaves para entender e reagir aos novos rumos que poderão ser traçados nessa verdadeira cúpula dos banqueiros.

 

A Inversa é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Nícolas Merola - CNPI Nº: EM-2240

Conteúdo protegido contra cópia