Seja bem-vindo!

Faça o login com sua conta e aproveite seus conteúdos exclusivos.

Entrar agora

Ainda não é cadastrado?

Crie sua conta

A Sibéria é aqui

Ivan Sant'Anna Publicado em 27/07/2021
2 min
O mercado se prepara para fortes geadas atingindo sul e sudeste. Será essa a melhor hora para agir ou para esperar?

Nota do editor: Semana passada, Ivan Sant'Anna e Antonyo Giannini escreveram um relatório que falava justamente sobre uma forte geada que atingiu os cafezais paulistas e mineiros (leia clicando aqui). Hoje, Ivan analisa antecipadamente os impactos de uma muito provável geada ainda mais forte que se prenuncia no horizonte dos cafeicultores e afeta investidores. 
 

A Sibéria é aqui

Por Ivan Sant'Anna
 

Segundo matéria publicada no portal G1 de hoje, “frio intenso chega ao Brasil na quarta; sensação térmica pode chegar a - 25ºC na Serra Gaúcha.”

O que interessa para este artigo é o café e, como todo mundo sabe, não há cafezais no Rio Grande do Sul. Só que a massa polar irá subindo em direção norte e atingirá o sudeste.

Eu poderia indicar a compra de contratos futuros de café na ICE em Nova York. Acontece que o mercado já está antecipando uma possível geada devastadora em São Paulo e no Sul de Minas.

Ontem, segunda-feira, 26 de julho, a cotação já subiu 9,95% para R$ 2,0708, o maior nível desde abril de 2011.

Portanto é melhor aguardar o que irá acontecer antes de tomar uma posição.

Na minha crônica Warm Up Pro intitulada Café com açúcar e suco de laranja, publicada há dois meses, escrevi:
    “A safra de café deste ano poderá ser uma das piores das últimas décadas.”
E continuei mais adiante:
    “No momento o café está cotado a US$ 1,5095 no mercado de Nova York.”
Pois bem, quem comprou nesse preço já fechou o dia de ontem ganhando US$ 21.318,75 por contrato.

Na quinta-feira da semana passada, voltei a indicar a compra. Aqueles que foram no meu pio, já puseram no bolso US$ 5.175,00, também por contrato.

Agora sugiro aguardar o desdobramento dos fatos antes de tomar uma posição.

Se vier uma geada negra, daquelas que destroem os pés de café e arruínam várias safras futuras, ainda há um espaço de subida muito grande pela frente.

 

A Inversa é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Nícolas Merola - CNPI Nº: EM-2240

Conteúdo protegido contra cópia