Pai Rico Pai Pobre Daily #34 - 💰 O valor real da responsabilidade social corporativa

Robert Kiyosaki Publicado em 03/03/2021
6 min
O trabalho de um empreendedor é servir melhor a mais pessoas e tornar o mundo um lugar melhor. Aprendi isso da maneira mais difícil, mas você não precisa.

O valor real da responsabilidade social corporativa

  • Costuma-se dizer que a responsabilidade de um empresário é fazer um produto melhor a um preço melhor. Eu acredito que seja algo maior do que isso...
  • Aprendi da maneira mais difícil que os empreendedores têm um dever...
  • A riqueza vem de alcançar e servir melhor as pessoas...

Caro(a) leitor(a),

Costuma-se dizer que a responsabilidade de um empresário é fazer um produto melhor a um preço melhor. Eu acredito que seja algo maior do que isso. O trabalho de um empreendedor é servir melhor a mais pessoas e tornar o mundo um lugar melhor.

Quando eu era mais jovem, entrei no negócio das carteiras Velcro®. Segui com ele e, finalmente, comecei a criar uma série de brindes rock and roll. Nenhum desses produtos tornou o mundo um lugar melhor. 

Na verdade, quando visitei minha fábrica na China, descobri que esses produtos estavam tornando o mundo um lugar pior, pois crianças estavam produzindo os itens em condições muito perigosas.  Não vale a pena machucar crianças por dinheiro. Meus olhos se abriram naquele momento para ver o mundo como um verdadeiro empresário.

Aprendi da maneira mais difícil que os empresários têm o dever de tornar o mundo um lugar melhor. Às vezes, isso significa que resolvemos um problema e às vezes significa que o trazemos para a luz.

A responsabilidade social corporativa emergiu rapidamente na última década, como resposta para a forma como as empresas ou indivíduos afetam a comunidade circundante. É uma onda que começou porque as pessoas estão chegando à conclusão de que os governos em todo o mundo não estão conseguindo resolver os problemas sociais. Para combater esse problema, as empresas decidiram intensificar e lutar pela mudança.

E foi para trazer essa luz que Kim e eu criamos o jogo de tabuleiro CASHFLOW® e escrevemos Pai Rico, Pai Pobre. É também por isso que Kim e eu criamos o aplicativo Pai Rico, Pai Pobre para dispositivos móveis. Com esta nova criação, podemos atingir mais pessoas e ensinar com mais eficácia as lições que nos tornaram bem-sucedidos. Podemos servir melhor a mais pessoas.
 

Seu sucesso passado não significa nada

Muitas vezes as pessoas se acomodam em seus antigos sucessos. Os empresários não têm esse luxo. Tenho um pôster pendurado em meu escritório que diz: “Ninguém se importa com seus sucessos anteriores”. Os empresários não podem perder o ímpeto e devemos olhar para frente. Devemos continuar pressionando. Devemos continuar servindo. Devemos manter nossa velocidade.

Observei a indústria de publicação de livros quando ela começou lentamente a declinar. Eu poderia ter esperado para ver como, ou se, eles iriam abraçar a era digital, mas então eu teria perdido o ímpeto. Eu teria deixado de lado minha missão de servir ao mundo. Não é isso que um empresário faz. Empreendedores resolvem problemas; nós servimos e lideramos.
 

Uma história de responsabilidade social corporativa

Um exemplo inspirador de responsabilidade social corporativa (RSC) em ação é Rommel Juan e sua empresa, a Binalot Fiesta Foods. Binalot (que significa "embrulhado" em filipino) cria fast food no estilo filipino, sempre embalado para manter o sabor.

DAHON (Dangal At Hanapbuhay para sa Nayon), o programa RSC criado por Binolot em 2007, ajuda os agricultores de Nagcarlan, Laguna, facilitando a compra de folhas de bananeira usadas para embrulhar os alimentos de Binalot.

DAHON não beneficia apenas a empresa de Juan, fornecendo e cortando as folhas, mas também a comunidade. As mulheres que cortam as folhas ganham cerca de 200 pesos por dia e os agricultores garantem uma oferta constante. As aparas de folhas, que antes eram jogadas em montes de lixo, agora são reaproveitadas para materiais de compostagem locais na comunidade.

Depois que o tufão Milenyo atingiu as Filipinas em 2006, destruindo as plantações de folhas de bananeira em Luzon, DAHON desempenhou um papel fundamental na ajuda pela obtenção das folhas de Binalot. Segundo Juan, tiveram que importar as folhas, que ficaram caras, de outras ilhas. 

“Não podíamos repassar o preço dessa maneira para nossos franqueados, então absorvemos o custo”, continuou ele.

Se não fosse por um pouco de sorte encontrada em um fórum de responsabilidade social corporativa que a tia de Juan o levou, a prática insustentável de importar as folhas teria levado Juan e o negócio de seu irmão à falência.

Entretanto, não foi fácil. Ele achava que vender a ideia aos fazendeiros locais exigiria muito pouco esforço. Foram necessárias mais do que algumas tentativas para convencer os fazendeiros locais de sua nova compra de folhas funcionaria. Foi uma grande luta, na verdade, eles só queriam que Rommel levasse seus filhos de volta para Manila para lhes dar empregos.

Finalmente, um líder comunitário se aproximou e concordou em organizar a comunidade e atender o primeiro pedido de Binalot de folhas de bananeira: cerca de 200 pratos servidos em Binalot.

Não demorou muito para que a comunidade apoiasse o empreendimento bem-sucedido. O único pedido cresceu rapidamente para 300 pacotes. O líder da comunidade ficou confuso quando finalmente percebeu que eles continuariam a receber os pedidos.

Por causa do programa de RSC, a Binalot teve a garantia de que poderia conduzir seus negócios com um suprimento constante e confiável de folhas de bananeira. Como resultado, o povo de Nagcarlan viu uma melhora diária em suas vidas.

Em 2007, o Binalot Fiesta Foods recebeu o prêmio do centenário “Out-of-the-Box” por uma competição para pequenas empresas patrocinada pela UPS (United Parcel Service). O prêmio de $ 10.000 foi diretamente para a comunidade Laguna.

Os elogios não param por aí. Binalot também ganhou o Prêmio Anvil de Mérito em 2008 da Sociedade de Relações Públicas das Filipinas. Eles também receberam o reconhecimento do Prêmio de Franquia de 2009 da Entrepreneur Magazine como Melhor Franquia Doméstica Local, Franquia de Crescimento Mais Rápido e muito mais.
 

O objetivo superior do empreendedor

Ser um empreendedor é semelhante a buscar um propósito maior. Os empreendedores entendem que o que fazem cria empregos, ajuda as pessoas e serve o mundo. Esses propósitos mais elevados são muito mais importantes do que orgulho ou medo.

Pai Rico, Pai Pobre começou simplesmente como um livro para promover nosso jogo de tabuleiro CASHFLOW®. Ele cresceu e se tornou o livro de finanças pessoais mais vendido de todos os tempos. Meu orgulho poderia exigir que nunca mudássemos. Meu orgulho poderia ter dito que Pai Rico, Pai Pobre, em sua forma original, ajudou dezenas de milhões de pessoas. Por que mudar?

O medo poderia ter ditado que o mundo estava mudando rápido demais e que eu deveria esperar para ver o que iria acontecer primeiro. O medo poderia ter me dito para deixar que outra pessoa testasse o mercado com uma nova plataforma digital. Afinal, por que mudar agora?

Mas eu não sou um autor. Eu sou um empresário. Eu corro riscos e lidero. E assim o mundo editorial vai mudar, e aposto que vai seguir o exemplo do novo Pai Rico, Pai Pobre mais interativo, desenvolvido pela Clutch Learning. A Rich Dad Company está servindo mais pessoas e tornando o mundo melhor.

Um abraço, 

Robert Kiyosaki

 

 

A Inversa é uma Casa de Análise regularmente constituída e credenciada perante CVM e APIMEC.

Todos os nossos profissionais cumprem as regras, diretrizes e procedimentos internos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Instrução 598, e pelas Políticas Internas estabelecidas pelos Departamentos Jurídico e de Compliance da Inversa.

A responsabilidade pelas publicações que contenham análises de valores mobiliários é atribuída a Felipe Paletta, profissional certificado e credenciado perante a APIMEC.

Nossas funções são desempenhadas com absoluta independência, não sendo dotadas de quaisquer conflitos de interesse, e sempre comprometidas na busca por informações idôneas e fidedignas visando fomentar o debate e a educação financeira de nossos destinatários.

O conteúdo da Inversa não representa quaisquer ofertas de negociação de valores mobiliários e/ou outros instrumentos financeiros. Os destinatários devem, portanto, desenvolver as suas próprias avaliações.

Todo o material está protegido pela Lei de Direitos Autorais e é de uso exclusivo de seu destinatário, sendo vedada a sua reprodução ou distribuição, seja no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa, sob pena de sanções nas esferas cível e criminal.  

Conteúdo protegido contra cópia