Pai Rico Pai Pobre Daily #31 - 15 lições para conquistar sua educação financeira

Robert Kiyosaki Publicado em 10/02/2021
5 min
Na newsletter de hoje, faço uma reflexão sobre a importância da educação financeira e trago 15 lições para que você conquiste a sua.

Como seria ensinar educação financeira em nossas escolas?

  • Para ficar rico, você deve saber ler e compreender as três coisas... 
  • Uma razão pela qual muitas pessoas estão com problemas financeiros é porque elas confundem duas dessas coisas...

Caro(a) leitor(a),

O que é educação financeira? Essa é uma boa pergunta, com muitas respostas diferentes dependendo de com quem você fala.

Para alguns, educação financeira significa ensinar as crianças a economizar dinheiro, fazer o controle de um talão de cheques e usar um cartão de crédito de maneira responsável. Para outros, significa ensinar como investir no mercado de ações e administrar sua aposentadoria. Para mim, significa ensinar como encontrar e executar investimentos de renda passiva que se tornam sua principal ou única fonte de receita. 

Seja qual for a sua definição de educação financeira, está claro que há uma coisa com a qual todos podemos concordar - educação financeira é quase inexistente em nossas escolas.

Os resultados do National Financial Capability Study (NFCS) - estudo feito nos EUA a cada três anos, aproximadamente, para medir a capacidade financeira da população adulta - divulgado pela FINRA Investor Education Foundation (Fundação FINRA, sigla em inglês para "Autoridade Reguladora da Indústria Financeira"), revelam que muitos americanos demonstram níveis relativamente baixos de educação financeira e têm dificuldade em tomar decisões financeiras em situações da vida real. 

Os dados do NFCS mostram que, nos EUA, 61% dos entrevistados não conseguiram responder a mais de três das cinco perguntas corretamente.

Aqui estão as cinco perguntas:

Suponha que você tenha US$ 100 em uma conta poupança e a taxa de juros seja de 2% ao ano. Após cinco anos, quanto você acha que teria na conta se deixasse o dinheiro investido? (A) Mais de US$ 102. (B) Exatamente US$ 102. (C) Menos de US$ 102.

Imagine que a taxa de juros em sua conta poupança fosse de 1% ao ano e a inflação fosse de 2% ao ano. Após um ano, quanto você poderia comprar com o dinheiro dessa conta?
(A) Mais do que hoje
(B) Exatamente o mesmo
(C) Menos que hoje

Se as taxas de juros sobem, o que normalmente acontece com os preços dos títulos de renda fixa?
(A) Sobem
(B) Caem
(C) Permanecem igual
(D) Não há relação

Verdadeiro ou falso: uma hipoteca de 15 anos normalmente requer pagamentos mensais mais altos do que uma hipoteca de 30 anos, mas os juros totais durante o período do empréstimo serão menores. 

Verdadeiro ou falso: comprar ações de uma única empresa geralmente oferece um retorno mais seguro do que um fundo mútuo de ações.

Pergunta bônus: Suponha que você deva US$ 1000 por conta de um empréstimo e a taxa de juros seja de 20% ao ano, compostos anualmente. Se você não pagou nada, com essa taxa de juros, quantos anos levaria para o valor que você deve dobrar?
(A) Menos de 2 anos
(B) De 2 a 4 anos
(C) De 5 a 9 anos
(D) 10 anos ou mais.

Isso traz à tona a questão: como seria se ensinássemos educação financeira em nossas escolas?

Se eu administrasse o sistema escolar, criaria um programa de educação financeira que incluísse as 15 lições seguintes. Mesmo que você não esteja mais na escola, essas coisas seriam valiosas para você estudar e aprender por conta própria como parte de sua jornada rumo à educação financeira.

 

Lição 1: A História do Dinheiro

É importante entender como o dinheiro funciona, e parte disso é estudar como funcionava no passado. O dinheiro progrediu ao longo dos séculos de algo bastante simples, como troca de bens, para algo muito complicado, como derivativos. 

Deixou de ser um objeto para se tornar uma ideia, por isso não é tangível e intuitivo. É importante estudar dinheiro para ficar rico. 


Lição 2: Entenda seu Demonstrativo Financeiro

Meu pai rico costumava dizer: "O gerente de seu banco nunca pede para ver seu boletim escolar. Ele quer ver seu demonstrativo financeiro - seu boletim quando você sai da escola."

Para ficar rico, você deve saber ler e compreender as três partes de seu demonstrativo financeiro: demonstrativo de lucros e perdas, balanço patrimonial e demonstrativo de fluxo de caixa.


Lição 3: A diferença entre investimento ativo e passivo

Um dos motivos pelos quais muitas pessoas estão com problemas financeiros é porque confundem investimentos passivos com ativos. Por exemplo, muitas pessoas pensam que sua casa é um ativo, quando na verdade é um passivo. 

Uma definição simples de ativo é qualquer coisa que coloque dinheiro no bolso. 

Uma definição simples de passivo é qualquer coisa que tire dinheiro do bolso.


Lição 4: A diferença entre ganho de capital e renda passiva

Muitas pessoas investem para obter ganho de capital, lucros, o que significa que estão apostando que o preço de algo vai subir. Infelizmente, hoje, muitas pessoas estão se dando mal. Investir para obter ganho de capital é semelhante a uma aposta, mas não é tão divertido. 

Em vez de investir para obter ganho de capital, os ricos investem para gerar uma renda passiva, ganho de capital é a cereja do bolo, se isso acontecer.


Lição 5: A diferença entre investimento com viés fundamentalista e técnico 

Investimento com viés fundamentalista analisa o desempenho financeiro de uma empresa, e começa com a compreensão de um demonstrativo financeiro. O investimento com viés técnico mede as emoções ou humores dos mercados por meio de indicadores técnicos e gráficos.

Você pode investir com sucesso utilizando esses dois tipos de investimento, mas ambos exigem compromisso e constante educação financeira.

Não perca a parte 2 na próxima quarta-feira, com as próximas 10 lições.

Abraço,

Robert Kiyosaki

 

PS.: Caro(a) leitor(a), acabamos de liberar o primeiro episódio da série original A Nova Ordem Cripto. Entenda o fenômeno capaz de oferecer retornos de até 30.000% em apenas 5 meses, que está varrendo o mundo das criptomoedas aqui. 

 

A Inversa é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Antonyo Giannini, CNPI EM-2476

Conteúdo protegido contra cópia