Pai Rico Pai Pobre Daily #11 - Como eu passei de falido a rico em dez anos

Robert Kiyosaki Publicado em 28/09/2020
7 min
Essa é uma história real: Kim e eu pensamos que estávamos falidos… A diferença entre estabelecer metas e planejar… Antes que eu possa lhe dizer o “como”, você precisa definir o seu “porquê”…

Nota da Publisher: com muita alegria, anuncio a chegada de Robert Kiyosaki, o Pai Rico Pai Pobre, ao time de especialistas da Inversa. A partir de agora, vamos dividir com você o brilhantismo de um dos maiores gurus financeiros da atualidade. Fique abaixo com mais um texto do Robert.

Caro leitor,

Em 1984, Kim, eu e nosso melhor amigo Larry esquiávamos em Vancouver, British Columbia, na montanha Whistler. O esqui estava excelente naquele ano.

À noite, nos sentávamos ao redor do fogo na cabana e conversávamos sobre nossos planos para o futuro. Como qualquer sonhador, tínhamos grandes ambições, mas recursos limitados.

Kim e eu estávamos raspando o fundo de nossas economias, Larry estava no processo de começar um novo negócio.

Nós usamos os recursos que tínhamos.

Kim, Larry e eu líamos livros sobre finanças e depois examinávamos as ideias dos autores. Todas essas discussões nos mantiveram acordados até o nascer do sol com muita frequência.

Como Kim e eu tínhamos feito todos os dias de Ano Novo até esse ponto, estabelecemos nossas metas para o próximo ano. Naquele ano, 1985, nossa definição de metas mudou.

Paramos de sonhar e colocamos um plano no papel.

Ao fazer isso, poderíamos ver o plano e começar a nos comprometer a fazer as coisas acontecerem.

Com o estímulo de Larry nossos objetivos foram de pensar em sobrevivência financeira a planos concretos de verdadeira independência.
 

Aposentaria sem dinheiro

Quando defini essa meta de liberdade total em minhas finanças, eu estava prestes a completar 37 anos. Mentalmente, eu era um fraco. Mudar meus pensamentos da sobrevivência para a liberdade parecia impossível.

Lembro claramente de perguntar a Larry: “Como é possível se aposentar sem ter dinheiro?”

Sua resposta foi: “Tudo o que estou dizendo é…vamos planejar a aposentaria agora. Vamos anotar o objetivo, criar um plano e depois focar na ideia”.

Quando criamos um plano, saltamos à frente dos outros de nossa idade. A maioria das pessoas não pensa em se aposentar até que seja tarde demais.

Elas planejam se aposentar quando tiverem 65 anos. Kim e eu não queríamos fazer isso. Nós dois concordamos que desejávamos um plano melhor. Não queríamos desperdiçar nossas vidas trabalhando apenas para pagar as contas. Nós queríamos viver.

Eu podia ouvir meu pai rico dizendo: 

“O maior desafio que você tem é desafiar sua própria insegurança e sua preguiça. A sua dúvida e a sua preguiça definem e limitam quem você é.

Se você quiser mudar quem você é, você deve assumir suas limitações. Elas mantêm você pequeno. É a sua dúvida e preguiça que lhe negam a vida que você quer”.

Ficou gravado em minha mente desde a infância que a maioria das pessoas prefere não mudar. Mas se você assumir a insegurança e a preguiça, qualquer um pode se libertar das batalhas financeiras.

Em 1994, Kim e eu estávamos livres. Conseguimos o objetivo que estabelecemos com Larry no dia de Ano Novo de 1985.

Como nós fizemos isso?

Eu não posso afirmar com certeza quantas vezes eu escuto a pergunta de como nós fizemos isso. Eu sempre respondo da seguinte forma: “Não importa ‘como’. Importa o ‘porquê’”.

Sem o porquê, não há como.

Meu porquê para querer me aposentar cedo e ser financeiramente independente era porque eu queria desafiar minhas próprias dúvidas, minha preguiça e o fraco dentro de mim que roubava minha confiança.

Foi o porquê que me deu o poder de fazer o como.

Durante as centenas de entrevistas que dei após o lançamento de Pai Rico, Pai Pobre, ouvi esta pergunta: “Você acha que todos podem ser ricos?”

Eu respondo: “Sim. Acredito que todo mundo tem potencial para ser rico”.

Eu, como muitas pessoas que conheço, tinha todas as desculpas para não seguir adiante com a definição de nosso objetivo no começo.

Nós não tínhamos dinheiro suficiente, eu precisava de mais tempo e achei que nossa situação era diferente da de todos os outros. Eu disse a mim mesmo todas essas coisas.

Eu não pude deixar de pensar em outro conselho de meu pai rico. Ele dizia: 

“Sempre que alguém diz algo como ‘não posso pagar’ ou ‘não consigo’ sobre algo que deseja, a pessoa tem um grande problema.

Por que alguém se negaria as coisas que deseja? Não faz sentido”. 

Dizer que você não pode, quando se trata de algo que você quer, é um pretexto.

Depois de me afastar do meu negócio de carteiras de velcro – um sucesso empolgante e, de repente, um fracasso total – meu espírito foi esmagado e minha mente se fechou.

Eu perdi minha confiança.

Mas como o meu diálogo interno continuou durante nosso exercício de estabelecimento de metas, minha mente começou a se abrir.

Mesmo que eu não soubesse como iria atingir esse objetivo, percebi o meu porquê. E isso era tudo que eu precisava.
Eu descobri – assim como meu pai rico – que não posso contar a ninguém como ficar rico. Agora, quando as pessoas me perguntam, eu respondo: “Por que você quer ser rico?”

Existem muitas maneiras de ficar rico. Mas só você pode decidir por que você quer ser rico. Como diz o velho ditado: “Onde há vontade, há um caminho”.

Falar é fácil.

Falei anteriormente que me perguntam se todos podem ficar ricos. Eu fiz a mesma pergunta de meu pai rico.

Sua resposta era: “Sim. O que uma pessoa deve fazer para se tornar rico não é tão difícil. De fato, ficar rico é fácil.

O problema é que a maioria das pessoas prefere fazer as coisas da maneira mais difícil.

Muitos trabalharão duro por toda a vida, gastando menos do que ganham, investindo em coisas que não entendem, trabalhando duro para os ricos em vez de se esforçarem para enriquecer, fazendo o que todo mundo está fazendo, em vez de fazer o que os ricos estão fazendo”.

Uma coisa é dizer que você quer liberdade total em suas finanças, outra é colocar um plano em prática e agir de acordo.

Se você colocar um plano no papel, você pode ser responsabilizado, você terá um compromisso.

Grande abraço,

Robert Kiyosaki
*Em breve você vai receber conteúdos novos do Robert Kiyosaki, este é original de 15 de julho de 2019

A Inversa é uma Casa de Análise regularmente constituída e credenciada perante CVM e APIMEC.

Todos os nossos profissionais cumprem as regras, diretrizes e procedimentos internos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Instrução 598, e pelas Políticas Internas estabelecidas pelos Departamentos Jurídico e de Compliance da Inversa.

A responsabilidade pelas publicações que contenham análises de valores mobiliários é atribuída a Felipe Paletta, profissional certificado e credenciado perante a APIMEC.

Nossas funções são desempenhadas com absoluta independência, não sendo dotadas de quaisquer conflitos de interesse, e sempre comprometidas na busca por informações idôneas e fidedignas visando fomentar o debate e a educação financeira de nossos destinatários.

O conteúdo da Inversa não representa quaisquer ofertas de negociação de valores mobiliários e/ou outros instrumentos financeiros. Os destinatários devem, portanto, desenvolver as suas próprias avaliações.

Todo o material está protegido pela Lei de Direitos Autorais e é de uso exclusivo de seu destinatário, sendo vedada a sua reprodução ou distribuição, seja no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa, sob pena de sanções nas esferas cível e criminal.  

Conteúdo protegido contra cópia