Tônica da Semana: Se comprei ou se vendi, o importante é que emoções eu vivi

Willian Castro Alves Publicado em 16/12/2019
1 min
Apesar de todos os Nostradamus que vemos por aí profetizando o caos na economia americana, o fato é que ela segue saudável. Em relação à Bolsa brasileira não é muito diferente. Por isso, nessa edição o Willian escreve sobre as perceptivas para o mercado interno e externo para esse final de ano. Leia agora!

Nota do editor: Na edição de hoje, William escreve sobre a tendência para o mercado interno e externo nesse final de ano. O William é estrategista-chefe da Avenue Securities e tem 15 anos de experiência no mercado financeiro.

Última Tônica do ano?

Eis que chegamos a última Tônica do ano!

Como assim Will, mas e o dia 23 e 30?

Calma, vou escrever algo, mas já adianto que o mercado deve ficar esvaziado nas últimas 2 semanas do ano.

Além disso, vamos ser sinceros, vocês estarão mais preocupados com o perú de natal e com o show da virada do Roberto Carlos do que com o mercado, não é?

Aliás, sigam a dica do Rei: “quando eu estou aqui eu vivo esse momento lindo

Quando estiverem com os seus amigos e a sua família, vivam aquele momento lindo sem se preocupar com o mercado, o Trump, o Xi Jinping etc.

 

Bull? Bear? Não sei? 

Voltando ao mercado, me chamou a atenção o indicador reverso do BOFA. Ele é um termômetro que mede o sentimento dos investidores.

Quando a galera está mega bullish, é um ótimo sinal para você vender, kkk. Quando o pessoal está pessimista (bearish), é hora de comprar.

O indicador varia de 0 (muito bearish, hora de comprar) a 10 (muito bullish, hora de vender). Na verdade, compra quando chega a 2 e vende quando chega no 8, grosso modo. 

Bom, o gráfico atual para o mercado americano não me parece indicar P. nenhuma!

 

Aquela Curva…

O mais interessante é que o mercado está nas máximas. Abaixo o S&P 500 (semanal), que não se cansa de renovar máximas históricas:

O mercado americano vem dando uma bela “curva” nos vendidos, tipo aquelas que a bola fazia quando outro Roberto Carlos famoso batia faltas. 

Uma explicação bem simples e básica, mas bem verdadeira, e que ajuda a explicar o momento vem de Thorsten Polleit, Economista Chefe da Swiss Metals Trader Degussa, em que ele basicamente comenta que ainda há espaço para cortes de juros nos EUA e que, enquanto esse espaço existir, ele acredita que o mercado americano seguirá forte.

Abaixo os gráficos das curvas de juros (diferentes vencimentos) e o S&P:

 

Sobe boato e desce no fato? 

Nas últimas semanas a mercado colocou na conta que teríamos um final feliz ou pelo menos um final temporário com a resolução positiva para a Trade War. Não só pelo S&P, como coloquei acima, mas também pelos preços dos ativos dos mercados emergentes – abaixo gráfico do EEM (índice que agrega mercados emergentes) – que chamaram atenção para o desempenho e o volume de negociação nos últimos dias.

O acordo fase 1 foi anunciado, mas as primeiras análises já na sexta mostraram certa decepção com o escopo do acordo, que foi visto como limitado e ainda deixou algumas questões sem resposta. São aqueles:

Detalhes tão pequenos de nós dois
São coisas muito grandes pra esquecer
E a toda hora vão estar presentes
Você vai ver

Mercado adora isso, né? Levantar as expectativas, sabe como é. Comento somente pela importância que isso exerce para o desempenho da Bolsa no curto prazo. Eu disse CURTO PRAZO, CURTO PRAZO!

 

Olhando mais à frente

Olhando um pouco além e pensando em 2020, apesar de todos os Nostradamus que vemos por aí profetizando o caos na economia americana, o fato é que ela segue saudável. Se você não acredita em mim, acredite no Barclays (Fonte: Outlook 2020 Barclays):

Eles estimam que o país cresça 1.6% a menos que nos últimos anos, quando o país cresceu mais de 2% a.a, mas ainda assim ajudando a sustentar um crescimento de mais de 3% para o mundo.

 

E o Brasil nisso tudo?

Seguindo o comentário acima sobre os juros nos EUA, aqui também não é muito diferente. Essa semana veio mais um corte, tudo dentro do esperado, é verdade, mas ainda assim importante!

Importante porque essa é uma das relações mais importantes e simples que aprendi até hoje!

Você pode não saber nada de Bolsa, mas guarde isso: juros e Bolsa têm relação inversa. Juros para cima, Bolsa para baixo (2013 a 2016):

Juros para baixo, Bolsa para cima (de 2016 até a hoje). Simples assim!

 

Como é grande o meu amor por essa relação inversa!

Nem mesmo o céu nem as estrelas
Nem mesmo o mar e o infinito
Nada é maior que o meu amor

Nem mais bonito

 

Trocando o telhado? 

Seguindo também o que falei de um cenário ok para 2020, achei simplesmente genial a analogia usada pelo secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, Marcos Troyjo, para descrever o momento vivido:

“O Brasil está trocando as telhas da sua casa macroeconômica, então é muito melhor você fazer isso num momento de sol brilhando lá fora, de estabilidade econômica, do que num momento de trovoadas e chuva pesada”.

Esse é o ponto principal. Do ponto de vista externo, mercados emergentes precisam de 4 coisas para andarem:

1) Um cenário tranquilo no exterior;

2) Economias desenvolvidas crescendo sim, mas com um crescimento moderado para que não atraiam, ou que não compitam pelos recursos que poderiam ser direcionados para cá;

3) Apetite a risco;

Aparentemente, teremos isso para 2020!

4) O quarto fator é justamente o cenário interno. Algo que também temos!

Veja que, no relativo, estamos inclusive muito bem posicionados! O Brasil é um dos países com maior inflexão em sua economia na atualidade. É aquela ideia de estarmos saindo do buraco, sabe?

 

Eu voltei agora pra ficar
Porque aqui, aqui é meu lugar
Eu voltei pras coisas que eu deixei
Eu voltei

Apesar das máximas na Bolsa, confesso que não consigo ver um grande problema que possa mudar completamente o humor com dela. Também confesso que isso me dá certo medo de estar sendo influenciado por esse clima festivo de final de ano. 

Ainda assim, meu foco é mais de longo prazo. Então sigo achando que está tudo ok. Um ou outro soluço sempre vamos ter, isso é mercado. Como diz o Rei: 

Se comprei ou se vendi, o importante é que emoções eu vivi! 

E não se esqueçam da lição dele: 

Quando eu estou aqui
Eu vivo esse momento lindo
Olhando pra você
E as mesmas emoções sentindo

 Um abraço,

William Castro Alves.

A Inversa é uma Casa de Análise regularmente constituída e credenciada perante CVM e APIMEC.

Todos os nossos profissionais cumprem as regras, diretrizes e procedimentos internos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Instrução 598, e pelas Políticas Internas estabelecidas pelos Departamentos Jurídico e de Compliance da Inversa.

A responsabilidade pelas publicações que contenham análises de valores mobiliários é atribuída a Felipe Paletta, profissional certificado e credenciado perante a APIMEC.

Nossas funções são desempenhadas com absoluta independência, não sendo dotadas de quaisquer conflitos de interesse, e sempre comprometidas na busca por informações idôneas e fidedignas visando fomentar o debate e a educação financeira de nossos destinatários.

O conteúdo da Inversa não representa quaisquer ofertas de negociação de valores mobiliários e/ou outros instrumentos financeiros. Os destinatários devem, portanto, desenvolver as suas próprias avaliações.

Todo o material está protegido pela Lei de Direitos Autorais e é de uso exclusivo de seu destinatário, sendo vedada a sua reprodução ou distribuição, seja no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa, sob pena de sanções nas esferas cível e criminal.  

Conteúdo protegido contra cópia