Concorrente para a Bolsa, benefício para o seu bolso

Katia Kazedani Publicado em 31/12/2019
2 min
Para mim, a possibilidade de haver uma concorrente para a B3 foi um dos principais assuntos de investimento do ano para os investidores

Olá, caro leitor!
Tudo bem?

Para quem não gosta daquela rotina, se divertiu e muito neste ano na Bolsa.

Início de um novo governo, reforma da Previdência, Guerra Comercial entre Estados Unidos e China, IPOs, recordes da Bolsa, taxa Selic na mínima histórica...

Foram tantos assuntos que fica até mesmo difícil dizer qual deles seria o principal.

Mas, na minha opinião, o que mais me deixou motivada como investidora é a possível concorrente para a B3.

De acordo com a B3, as discussões com a empresa ATS – que captou dinheiro de fundos de pensão e tinha interesse em criar uma Bolsa concorrente no Brasil – foram concluídas.

O acordo, que vale para a ATS ou qualquer outra empresa que queira estabelecer uma plataforma de negociação de ações concorrente no mercado brasileiro, estabelece uma taxa de transferência de ativos (TTA) 0,26 basis points a ser aplicada sobre cada transação que processar, mas com a aplicação de descontos de acordo com o crescimento dos volumes totais do mercado.

A decisão acaba com o monopólio da B3 e, consequentemente, deve trazer efeitos benéficos para a crescente população de investidores brasileiros que poderão ter preços menores e maior qualidade do serviço.

Para a B3, é possível que haja queda de receita e margens.

Não à toa, o preço das ações já está despencando.

Bom, espero que notícias como essa em diferentes setores se tornem cada vez mais comum...

Algumas pessoas podem até não concordar, mas com a abertura do mercado e mais concorrência...

Quem sai ganhando somos nós, com melhores serviços.

Feliz Ano Novo e bons investimentos!

Um abraço, 
Kátia

 

 

 

 

 

 

A Inversa é uma Casa de Análise regularmente constituída e credenciada perante CVM e APIMEC.

Todos os nossos profissionais cumprem as regras, diretrizes e procedimentos internos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Instrução 598, e pelas Políticas Internas estabelecidas pelos Departamentos Jurídico e de Compliance da Inversa.

A responsabilidade pelas publicações que contenham análises de valores mobiliários é atribuída a Felipe Paletta, profissional certificado e credenciado perante a APIMEC.

Nossas funções são desempenhadas com absoluta independência, não sendo dotadas de quaisquer conflitos de interesse, e sempre comprometidas na busca por informações idôneas e fidedignas visando fomentar o debate e a educação financeira de nossos destinatários.

O conteúdo da Inversa não representa quaisquer ofertas de negociação de valores mobiliários e/ou outros instrumentos financeiros. Os destinatários devem, portanto, desenvolver as suas próprias avaliações.

Todo o material está protegido pela Lei de Direitos Autorais e é de uso exclusivo de seu destinatário, sendo vedada a sua reprodução ou distribuição, seja no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa, sob pena de sanções nas esferas cível e criminal.  

Conteúdo protegido contra cópia