Bate-papo com nosso especialista em opções e mercados internacionais, Marink Martins

Katia Kazedani Publicado em 14/12/2019
6 min
As séries do Marink estão dando muito dinheiro para seus leitores...para conhecer melhor o perfil desse carioca, leia o bate-papo que tive com ele

Olá, caro leitor!

Investir em opções nunca foi uma opção para mim.

Sempre achei complicado. Até começar a trabalhar aqui na Inversa.

Foi Marink Martins, especialista em opções e mercados internacionais, o responsável por me mostrar como funcionam as operações com opções.

Ele diz tudo de uma maneira tão simples e calma, que fica difícil não querer aprender sobre opções.

E por considerar tão importantes as conversas que tenho com o Marink, vou dividir com você um pouco mais sobre o perfil dele e de suas séries que estão com lucros extraordinários.

Espero que goste!

Marink Martins: visão à frente sobre investimentos

Marink Martins mora no Rio de Janeiro, mas vem muito à São Paulo.

Assim que chega aqui no escritório, faz questão de cumprimentar todo mundo. Conversa com um, brinca com outro...

E, claro, sempre dá sua opinião sobre o que está acontecendo no mundo.

Todo mundo pergunta o que ele está achando sobre algo, porque ele costuma ter uma percepção muito a frente dos fatos que podem interferir nos nossos lucros.  

Com mais de 20 anos de experiência, Marink operou milhões na Bolsa de Nova York.

Ele acertou tanto em seus investimentos que aos 28 anos já conseguiu parar de trabalhar para investir para si mesmo.

Agora, aqui na Inversa, ele é responsável pelas séries Clube e Grupo do 1%. As duas séries são para perfis de investidores diferentes.

Mas quem segue Marink, independente do perfil, está tendo um bom lucro com suas sugestões.

Para conhecer melhor a estratégia do Marink em cada uma de suas séries e saber como ele consegue dar segurança aos seus leitores, leia o bate-papo que tive com ele:

Quantas sugestões você fez?
No Clube temos uma carteira que é ajustada dinamicamente com um único ativo: Petrobras. Sendo assim, não faço sugestões de ações, mas sim do que fazer com o papel a depender do cenário.

Já no Grupo do 1% fiz aproximadamente 20 sugestões.

O que diferenciou a sua estratégia das demais neste ano?
A estratégia do Clube - Dynamic Hedging - é consistente que habita as tesourarias dos bancos. Aqui na Inversa, a disciplina na implementação vem gerando bons resultados.

No Grupo do 1% conto com uma análise diferenciada que, junto com a minha experiência, vem contribuindo também para ótimos resultados. 

Por que você acha que conseguiu acertar tanto?
Já atuo nos mercados há mais de 20 anos. Ao longo da trajetória, já apanhei bastante, de forma que hoje, com mais maturidade, consigo evitar algumas ciladas presentes nos mercados.

Algumas ciladas: narrativas criadas pelo mercado, como a que está em curso, no que diz respeito ao varejo digital.

Como você faz para proteger os assinantes nas quedas?
No Clube implemento 6 parâmetros de risco que são cruciais para gerar um crescimento sustentável. 

Esses parâmetros desenvolvidos especificamente para a estratégia do Cerco Dinâmico que coloco em prática no Clube. São parâmetros simples, porém, técnicos, de forma que a estratégia prossiga de forma resiliente.

Se a pessoa tivesse seguido à risca tudo, quanto ela teria de lucro em relação ao investimento inicial?
Trabalho de uma forma em que publico uma Operação Padrão. Isso vale tanto para o Clube como para o Grupo do 1%.

Aqueles que seguiram a carteira do Clube obtiveram aproximadamente R$40 mil de lucro desde o início da série. O resultado em 2019 até novembro é de R$25 mil para um investimento de R$100 mil.

Já no Grupo do 1%, o lucro bruto desde o início da série é de aproximadamente US$17 mil em cima de um investimento de US$100 mil.

Qual foi o maior acerto?
No Clube, só trabalho com um único ativo - Petrobras PN. E conseguimos aproveitar ao máximo esse papel.

Já no Grupo do 1%, o maior acerto foi um investimento feito no ETF KWEB no início do ano que rendeu quase 20% em um prazo de um mês.

Qual foi o maior erro?
No Grupo do 1% foi o ETF XOP que caiu quase 10% em um mês.

O que você fez de mais valioso para seu assinante no ano?
Faço lives diárias onde procuro não só gerar retorno financeiro, mas principalmente formar novos gestores e empresários.

A que perfil de leitor oo Clube e o Grupo do 1% se destinam?
Para aqueles mais maduros que buscam retornos sustentáveis e replicáveis.

Quanto tempo por semana o leitor tem que dedicar?
No Clube, sugiro que acompanhem as minhas lives diárias.

No Grupo do 1%, 1 hora a cada duas semanas.

Quanto risco o leitor tem que aceitar?
Acredito que o leitor tem que estar preparado emocionalmente para conviver com perdas de 10% de seu patrimônio. Vivemos em um mercado altista, mas, em algum momento no futuro, enfrentaremos adversidades.

Como é seu contato com os assinantes? Você tem alguma mensagem ou contato que te deixou muito feliz? Qual?
Faço questão de ler todos os depoimentos dos leitores para que eu perceba onde posso melhorar. Fico muito feliz por saber que o meu leitor parou para escrever para mim, acho que isso demonstra consideração e respeito.

Teve um leitor que recentemente me escreveu e, confesso, fiquei até emocionado ao ler.

“Você tem sido muito cuidadoso na condução da operação padrão e por isso não deixo de te seguir, apesar de estar contigo desde o início, não perco nenhuma live diária".

Acredito que eu tenha condições de tocar a minha própria operação, mas faço questão de te seguir na operação padrão  porque acredito que você tem uma visão de mercado que, certamente, eu ainda não tenho. Afinal são décadas de dedicação, não é mesmo? Isso tem um diferencial imenso na hora de se conduzir os ajustes, que são o que decidem o resultado dessa operação”.

Não tem como não querer fazer algo cada dia melhor para os meus leitores!

Você é mais de diversificação ou da concentração do investimento em um único ativo?
No Clube, concentração.

No Grupo do 1%, diversificação.

Você é contra ou a favor de small caps?
Nem contra, nem a favor. Isso depende mais do horizonte de tempo do investimento. Eu sou meio impaciente, por isso, fico fora.

Você é um trader mais agressivo ou conservador?
Mais conservador.

Você gosta de fundos ou odeia fundos?
Na Inversa geramos retornos superiores aos dos fundos e, além disso, formamos gestores. 

A Inversa = retorno + educação.  

Pergunte ao gestor do seu fundo: "what have you done for me lately"?

O que você odeia no mercado?
Os emolumentos, ou seja, lucros casuais da B3. A bolsa mais cara do mundo. 

Espero que tenha gostado!

Um abraço, 
Kátia

 

ACESSO AOS MELHORES INVESTIMENTOS NO EXTERIOR - GRUPO DO 1%

Veja como investir em Petrobras em qualquer cenário - Clube

A Inversa é uma Casa de Análise regularmente constituída e credenciada perante CVM e APIMEC.

Todos os nossos profissionais cumprem as regras, diretrizes e procedimentos internos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Instrução 598, e pelas Políticas Internas estabelecidas pelos Departamentos Jurídico e de Compliance da Inversa.

A responsabilidade pelas publicações que contenham análises de valores mobiliários é atribuída a Felipe Paletta, profissional certificado e credenciado perante a APIMEC.

Nossas funções são desempenhadas com absoluta independência, não sendo dotadas de quaisquer conflitos de interesse, e sempre comprometidas na busca por informações idôneas e fidedignas visando fomentar o debate e a educação financeira de nossos destinatários.

O conteúdo da Inversa não representa quaisquer ofertas de negociação de valores mobiliários e/ou outros instrumentos financeiros. Os destinatários devem, portanto, desenvolver as suas próprias avaliações.

Todo o material está protegido pela Lei de Direitos Autorais e é de uso exclusivo de seu destinatário, sendo vedada a sua reprodução ou distribuição, seja no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa, sob pena de sanções nas esferas cível e criminal.  

Conteúdo protegido contra cópia