A última dança

Valter Outeiro Publicado em 27/04/2020
2 min
Momentos de incerteza podem trazer retornos expressivos: veja como se posicionar para aproveitar as oportunidades.

“O minuto em que você se descola dos fundamentos – seja técnica própria, ética no trabalho ou preparação mental – o fundo pode aparecer no seu jogo, nos seus trabalhos escolares, em seu emprego, no que você estiver fazendo”.

A afirmação de Michael Jordan sintetiza os motivos responsáveis por ser o maior jogador de todos os tempos da NBA, com seis títulos.

Neste momento, existem muitas preocupações em torno do desdobramento da crise do coronavírus e de seus efeitos nos mercados.

Existem duas vertentes: a expectativa de que o pior já passou e notícias negativas (como a queda inevitável nos lucros das empresas) já estão precificadas; e o prognóstico de que as bolsas internacionais (nos EUA, principalmente) estão demasiadamente caras e apresentam tendência de baixa.

Estudo de um dos maiores bancos dos EUA aponta: 22% da capitalização de mercado do índice S&P 500 se concentra nas ações de cinco empresas, sendo quatro de tecnologia (Microsoft, Apple, Amazon, Alphabet – dona do Google  e Facebook). Você deve ter utilizado ao menos uma dessas empresas para ler este texto.  

Contudo, enquanto a manada corre para empresas mais “seguras”, as oportunidades de uma vida se multiplicam a todo momento.

Estou falando de empresas com alto potencial de crescimento, afetadas por uma situação externa a seu controle, mas que ainda permanecem com fundamentos sólidos.

Este grupo incrível de empresas você poderá saber somente aqui, neste webinário, a ocorrer nesta terça-feira (28), às 9h00 (horário de Brasília), com nosso especialista em small caps Leonardo Pontes.

Vou me despedindo com uma última frase de Michael Jordan:

“O melhor vem do pior”.

Forte abraço,

Valter

Conteúdo protegido contra cópia