Investigador Financeiro #95 - Investir em ações: o básico que você precisa saber

Andre Zara há 1 mês
1 min
A pior maneira de investir em ações é sair comprando sem entender. Como escolher a ação certa? Quanto tempo segurar? Qual a melhor hora de vender? São todas perguntas muito importantes, que você precisa saber a resposta.

Olá, 

Na semana passada, liguei à minha mãe para avisar que o Copom (Comitê de Política Monetária) reduziu novamente a taxa Selic. E ela me respondeu: “E o que eu tenho a ver com isso?” 

Tudo! Expliquei para ela que muitas das suas aplicações estão relacionadas com a taxa básica de juros do Brasil, principalmente as mais conservadoras. 

Com a Selic no patamar de 4,25%, ao ano, muitos dos fundos de investimento que o banco oferece, e a poupança, rendem menos do que a inflação. Isso quer dizer que você está perdendo poder de compra, pois os valores das coisas aumentam, mas o seu dinheiro não acompanha.

De forma direta: o arroz e o feijão vão subir, mas as suas aplicações no banco não vão ser suficientes nem para garantir a mesma quantidade de arroz e feijão no futuro. 

Minha mãe logo respondeu: “Não me importo. Sou conservadora. Prefiro ver meu saldo na poupança todo dia”. 

Claro, faz sentido. Mas é conservador perder dinheiro? E saber disso?

“Você sempre me fala de investir em ações, mas não sei mexer em corretora e outras coisas. Além disso, posso perder dinheiro.” 

Eu lembrei a ela que já estava perdendo. E questionei: você prefere ter a certeza de perder ou pegar uma parte do seu patrimônio e ter a chance de ganhar muito? 

Não precisa investir tudo na Bolsa. Apenas 20% do seu patrimônio, em boas ações, já faz toda a diferença. E você pode até investir usando a corretora do seu próprio banco (mesmo sabendo que vai pagar maiores taxas).

Eu entendo que é “mais fácil” aplicar em investimentos conhecidos, mas o futuro vai cobrar a conta. O valor do aluguel, da gasolina, do café, do pão, de tudo vai aumentar... 

Mas se o seu dinheiro não acompanha, você, na verdade, está ficando mais pobre! E isso, para mim, é andar para trás. 

Para dar o primeiro passo na direção correta, entendo que é necessário conhecimento. O que tem tudo a ver com a questão que respondo abaixo.


Você pergunta, eu respondo:
(Faça sua pergunta aqui)


“Eu compro ações. Bom! Após comprar fico com ela direto aguardando rendimentos na minha conta, ou tenho que vender, para ter lucro. Existe algum risco de eu ficar devendo à Bolsa? Desculpe-me. É minha primeira vez na Bolsa.” – Israel 

Muito obrigado pela pergunta, Israel. E não precisa se desculpar: a sua dúvida é muito comum entre os leitores. Por isso, vamos tratar de resolver isso.

Com ações, você ganha dinheiro de duas formas: pela valorização da própria ação e pelos dividendos que ela paga. 

Mas deixa eu explicar melhor, usando um exemplo...

Se você comprou ações da Petrobras a R$ 20 a unidade e ela sobe para R$ 22, você está no lucro. Se você quiser vender e embolsar os lucros, pode fazer isso. Mas e se ela subir para R$ 24? Como você sabe a hora de vender?

E se ela pagar dividendos, proporcionalmente por cada ação que você tem? Recentemente, a empresa informou que pagará até 42 centavos por ação. Ou seja, a cada 100 ações, você poderia ter recebido R$ 42. Você usa esse dinheiro para comprar mais ações, para ter mais dividendos no futuro, ou coloca no bolso?

Por isso, sempre falo que é preciso ter uma estratégia clara de investimento. Se não, vai ficar perdido...

E fique tranquilo: ao comprar uma ação, não existe risco de você ficar devendo para a Bolsa. Mesmo que houver uma catástrofe e ela zerar, você só perderia o investimento que fez. Mas isso é muito raro, especialmente se você sabe o que está fazendo. 

Por isso, a importância de ter um plano para entrar na Bolsa. A pior maneira de investir em ações é sair comprando sem entender. Como escolher a ação certa? Quanto tempo segurar? Qual a melhor hora de vender? São todas perguntas muito importantes, que você precisa saber a resposta. 

Então, para quem deseja começar a investir na Bolsa, da maneira correta, criamos um curso focado em ações.

Tem videoaulas, plantão de dúvidas para você poder perguntar, de forma on-line, e um workshop presencial, no final, para colocar tudo em prática (isso para quem gosta de ter a experiência de ter contato, olho no olho). 

Mas só isso não basta. A ideia também é já começar a investir, na prática, e ter a chance de ter retornos na Bolsa. Afinal, a melhor maneira de aprender é fazendo, de forma controlada e com supervisão! 

Então, se você sente que é hora de pegar uma parte do seu patrimônio e começar a investir em ações, da forma certa, aceite o convite do nosso especialista André Barros, o Money Maker. 

O meu xará é um investidor, como eu e você, que passou anos se dividindo entre o trabalho e seus investimentos na Bolsa. Após muitos anos, ele encontrou a estratégia certa, o que lhe permitiu aposentar com apenas 45 anos.

Então, se você quer entrar na Bolsa, ter a chance de ter bons retornos, com a ajuda de alguém que entende os seus desafios diários, clique aqui e veja a nossa proposta. Os próximos meses serão cruciais para você e o seu futuro.

Um abraço,

André Zara

Felipe Paletta abriu suas 2 melhores ações para ser pago mesmo durante a crise e mais ainda depois. Veja aqui no detalhe.

Conteúdo protegido contra cópia