Investigador Financeiro #89 - Dá para gerar renda sem investir em ações?

Andre Zara há 3 meses
5 min
Se você não quer investir em ações, mas gostaria de ter uma renda mensal, descubra outros ativos que também geram grana periodicamente para você.

Olá.

Nesse final de semana, eu tive duas experiências muito interessantes conversando com motoristas do aplicativo Uber.

Em duas viagens, no sábado, percebi como muitas pessoas ainda não compreenderam que, no mundo dos investimentos, fazer o simples e óbvio pode ser muito melhor.

O primeiro motorista me contou que tinha perdido mil reais, que juntou com muita dificuldade, em uma pirâmide financeira que prometia ganhos astronômicos com criptomoedas. Perguntei se ele tinha investido em algo antes, como Tesouro Direto ou ações, mas ele negou.

Saiu da Poupança direto para as “moedas digitais”. A sua resposta para investir em algo que não entendia, dando dinheiro para uma empresa pouco confiável, foi surpreendentemente honesta: ganância.

Já o segundo motorista me falou que a Bolsa era “muito perigosa”, pois havia perdido 40% do dinheiro investido. Eu fiquei intrigado: no que ele havia aplicado? A resposta foi esclarecedora: começou a seguir um youtuber que fazia day trade e resolveu operar também – sem saber que pesquisas mostram que mais de 90% das pessoas que tentam viver desse tipo de operação, que exige que você fique comprando e vendendo ações todo dia, têm prejuízo.  

Depois da explicação, fiz a pergunta óbvia: você pensou em simplesmente aplicar em uma ação de uma empresa grande (tipo um banco), sentar e esperar? O motorista pensou por alguns segundos e ficou sem graça... pois fazia todo sentido sim!

Para ganhar dinheiro no mercado, fazer menos é mais. Inclusive, existe uma pesquisa da Warwick Business School, no Reino Unido, que mostrou que as mulheres investem melhor do que os homens. Sabe por quê?

Homens são atraídos por investimentos mais especulativos, enquanto as mulheres focam em investimentos que têm um bom histórico. As mulheres também têm uma perspectiva de mais longo prazo, fazendo menos operações.

O que nos leva à conclusão: primeiro faça o simples e óbvio. Quando você realmente dominar o básico, pode partir para investimentos mais especulativos – e com uma pequena porção do seu patrimônio, ok?


Você pergunta, eu respondo:
(Faça sua pergunta aqui)


“Sou aposentada, mas ainda trabalho. Este ano, pela primeira vez ¨sobraram¨ 20 mil reais. Não quero aplicar em ações, gostaria em algo mais seguro, que desse renda, talvez mensal ou até semestral, não pretendo usar esse dinheiro a curto prazo. O que me sugere, por gentileza.” – Lurdes S.

Obrigado pela pergunta, Lurdes. Isso vai me ajudar a falar novamente de investimentos que geram renda, comparando os ativos, suas rentabilidades e riscos.

Primeiramente, quero argumentar que ações são seguras, sim. Você não deve ter medo de ações da Bolsa, pois elas são de empresas reais que você conhece e consome produtos diariamente.

Pensa comigo, Lurdes: você acha que um banco, como o Banco do Brasil ou Itaú, têm chance de quebrar, do dia para noite, e zerar seus investimentos? Eu não apostaria nisso...

Lógico que, na renda variável, o preço da ação vai sempre mudar mesmo, porém, no longo prazo, tende a subir. Mas tudo bem! Vamos retirar as ações...

Se você está procurando renda, sobraram como opções mais seguras os Fundos Imobiliários (FIIs) e Tesouro Direto com cupom semestral. Por quê?

Por focarem em imóveis e receber seus aluguéis, os Fundos Imobiliários têm menos volatilidade: ou seja, é mais fácil prever o que está acontecendo com um fundo e seus retornos.   

Já os títulos do Tesouro Direto apresentam o menor risco possível entre todos os ativos disponíveis no mercado. Afinal, você está emprestando dinheiro para o Brasil, o que torna o risco de calote muito baixo.

Além disso, você está fechando um acordo que ninguém pode mudar: se você garantiu uma taxa, o governo não pode voltar atrás. Se você levar o investimento até o vencimento, não terá surpresas.

Essa diferença de risco tem um reflexo nos possíveis retornos. E, para exemplificar isso, vamos avaliar o Tesouro IPCA+ 2026 com juros semestrais contra o Fundo Imobiliário Vinci Shopping (VISC11).

Na simulação que fiz no site do Tesouro, aplicando os seus R$ 20 mil hoje, lá em 2026 você teria R$ 26.509,38. Só que esse título, com juros semestrais, vai te antecipando uma parte desses R$ 6 mil, nos meses de fevereiro e agosto. Estamos falando em algo como R$ 400 por semestre, ou seja, de renda extra você teria uns R$ 800 por ano. 

Do outro lado, temos o fundo Vinci Shopping, que pagou 5,8% de Dividend Yield neste ano, o que teria te dado R$ 1.160 de renda extra. E isso sem contar a valorização da cota que você comprou. Se tivesse aplicado no começo deste ano, os seus R$ 20 mil teriam 34% de valorização: um ganho de R$ 6.800.

Então, só para deixar claro: com o VISC11, você teria lucrado R$ 6.800 com as cotas mais os R$ 1.160 da renda.

Como você pode ver, Lurdes, existem alternativas para viver de renda. No Tesouro Direto, você compra e esquece. Com Fundos, tem que acompanhar para ver como está a gestão do investimento.

Mesmo assim, eu não tiraria as ações do radar. Como eu falei na minha newsletter sobre dividendos, esse investimento pode apresentar resultados ainda melhores. Leia com atenção para entender todo o potencial.

Se você também tem uma dúvida de investimento, mande para mim neste link. Espero responder em breve.

Um abraço,

André Zara

Felipe Paletta abriu suas 2 melhores ações para ser pago mesmo durante a crise e mais ainda depois. Veja aqui no detalhe.

Conteúdo protegido contra cópia