Investigador Financeiro #71 - Dólar a 4 reais. O que fazer?

Andre Zara Publicado em 17/08/2019
4 min
Nunca tente prever a direção do câmbio, mas tenha sempre uma porção de dólar em sua carteira. Ele vai te proteger.

Oi.

Esta semana os nossos hermanos argentinos dominaram o noticiário. A eleição por lá causou choques no mercado e isso teve um impacto direto para você...

As incertezas dos nossos vizinhos, aliadas a outros fatores internacionais, fizeram o dólar por aqui disparar, chegando a passar dos R$ 4,00.

Creio que muita gente está se perguntando sobre investimento em dólar. Hoje em dia, as pessoas não pensam muito sobre isso, mas quem é mais velho vai se lembrar que, no passado, os brasileiros só faziam as contas do cotidiano pensando em dólar.

Uma coisa que sempre me chama a atenção quando vou à Argentina é que eles só pensam as suas finanças pessoais em dólar. É como se a moeda deles, o peso, fosse descartável. O povo não confia no país e isso é muito triste. Ainda bem que hoje vivemos uma situação diferente no Brasil (pelo menos em relação à moeda).

Mas para você, que mora aqui, qual deve ser a sua relação com o dólar? Veja abaixo a importância que ele tem para seus investimentos.

“Investir em dólar é bom investimento? Como comprar dólar?” – Nice

Muito obrigado pela pergunta, Nice. Essa questão se tornou pertinente e urgente para todo mundo que investe agora.

Eu quero te contar a minha visão como investidor Pessoa Física sobre o dólar. Para isso, vamos voltar às eleições de 2018.

Quando chegamos ao segundo turno entre Bolsonaro e Haddad, o mercado entrou num jogo binário: Bolsonaro era “compre Bolsa”; e Haddad, “vai de dólar”.

Ou seja, se Bolsonaro ganhasse, o mercado iria ficar tranquilo e a Bolsa subiria. Já Haddad representava a incerteza e, se ele se tornasse presidente, o dólar iria disparar (pelo menos em um primeiro momento). Enquanto rolava a disputa, e o resultado era incerto, o dólar passou dos R$ 4,00...

Já sabemos o que aconteceu e a moeda baixou. No entanto, logo após a vitória do Bolsonaro, analistas diziam que o dólar poderia cair rapidamente, chegando a R$ 3,50, ou até menos. Isso nunca aconteceu...

A minha dica é: nunca tente prever a direção do dólar! Mesmo os especialistas, que acompanham cada movimento da moeda e contam com modelos matemáticos sofisticados, têm dificuldades em fazer isso. Sempre que houver incertezas, no Brasil ou no exterior, a moeda irá para cima.

E sabe o que é mais louco? Se houver uma crise nos EUA, o dólar vai subir por aqui! Parece um contrassenso, mas os investidores acham mais seguro investir nos Estados Unidos, em crise, do que no Brasil em expansão. Essa é lógica do mercado.

Mas o que isso representa para nós, investidores? Tenha sempre uma porção de dólar na carteira. SEMPRE (não usei letras garrafais à toa).

Não importa se o mercado é de alta ou de baixa. Quando algo acontecer, e coisas vão acontecer, você tem que ter uma posição defensiva, uma espécie de seguro.

E qual é a melhor maneira de investir?

Antes de falar disso, quero te avisar: a pior forma é ir a uma casa de câmbio e guardar moeda em casa, pois você estará correndo vários riscos. Moeda física só em caso de viagem, ok?

As melhores maneiras de investir são por meio de fundos de investimentos ou operar contratos futuros. Aí vou deixar ao seu gosto. Eu, particularmente, acho mais fácil investir por meio de fundos, mas se você tem o perfil de trader e quer apostar em altas, buscando ganhos mais agressivos, pode, sim, ter essa opção de negociar os contratos futuros.

Se você tem alguma dúvida sobre investimento, envie para mim por este link. Espero responder em breve.

Um abraço, 

André Zara

A Inversa é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Antonyo Giannini, CNPI EM-2476

Conteúdo protegido contra cópia