Investigador Financeiro #69 - Plano para se aposentar cedo e viver de renda

Andre Zara Publicado em 03/08/2019
4 min
Tenho um plano para me aposentar aos 40 anos. Preciso ser disciplinado, acumular grana e dominar a arte da geração de renda

Olá.

Tenho uma meta: me aposentar quando chegar aos 40 anos. Para atingir, tenho cinco anos, um plano traçado e um montante certo de dinheiro para conseguir viver uma vida tranquila.

Nesses cinco anos, além de ser muito disciplinado e acumular a grana, eu preciso dominar a arte da geração de renda com investimentos. E quanto mais o mundo das finanças se popularizam no Brasil, mais pessoas percebem que isso pode ser uma boa opção. Afinal, ninguém quer depender do INSS...

Mas a verdade é que ainda temos muito a percorrer como uma nação de investidores. Sempre que faço uma pergunta direta aos leitores, como na semana passada, recebo dezenas de respostas. Algumas me deixam bastante chateado e reforçam como é importante o trabalho da Inversa.

Olha, por exemplo, o caso do Dino: “Tenho 300 mil reais aplicado em CDB na C.E.F tem rendido 1.100 reais mensal. Existe uma aplicação onde eu ganharia mais em rendimentos?”.

Dino, só para comparar, usei a calculadora do Banco Central para a Poupança. O resultado é retorno mensal de R$ 1.114,50. Se esses rendimentos que você falou, Dino, são líquidos, após os impostos, seu CDB está empatando com a Poupança. A quem beneficia essa situação?

Você poderia estar gerando uma renda com esses R$ 300 mil, mas, ao invés, tem rendimentos pífios. Mas veremos abaixo como mudar esse jogo.

“Quais as melhores opções para ações que geram dividendos atualmente, segundo sua visão? Investimento entre 6 e 15 meses”. - Marcelo

Muito obrigado por enviar a sua pergunta, Marcelo. Ela vai nos ajudar a entender melhor os dividendos e mostrar que não são só as ações que geram “dividendos” para nós.

O primeiro ponto é: o que são os dividendos?

São partes do lucro de uma empresa distribuídos, em dinheiro, para seus acionistas. Para fazer parte disso, você só precisa ter a ação.

E as ações geram dividendos de acordo com as especificações de cada empresa. Na queridinha dos investidores de renda, a do Itaú (ITUB4), por exemplo, a distribuição é mensal. Outros papeis bons podem ser semestrais, trimestrais, anuais e até irregulares.

E isso é importante, Marcelo, porque você colocou um período de tempo para suas aplicações. Entender isso vai te permitir fazer um plano de recebimentos regulares.

Agora, existem outros ativos que podem gerar uma grana periódica para você. Estou falando de ativos de renda fixa, como títulos do Tesouro Direto com cupom semestral, e Fundos Imobiliários. Por causa da questão da periodicidade distinta de pagamentos, é interessante fazer a combinação.

É o que o Felipe Paletta, perito em geração de renda aqui da Inversa, chama de “Tripé de Renda”. Com esses três tipos de ativo (ações, renda fixa e fundos imobiliários) dá para estruturar uma forma bem interessante de ganhar dinheiro.

Eu adoro seguir as publicações dele e já ir me preparando para o futuro. Por isso, quero convidar a todos os leitores a participar da masterclass gratuita do Paletta chamada “Investidor de Renda”. Eu já vi a primeira aula, que estreará no dia 9, e está incrível! Você só precisa se inscrever aqui para receber o aviso de liberação. 

Para quem tem uma quantia já guardada, como o Dino, essa é uma boa oportunidade de aprender a fazer seu dinheiro ter um rendimento mensal realmente extraordinário, fugindo de Poupança e pegadinhas dos bancos. Que tal, ao invés dos R$ 1.100 do CDB, tirar mais de R$ 5 mil? Uma enorme diferença!

Interessou? Então, assista ao vídeo gratuito do Paletta e deixa ele te mostrar como colocar isso em prática. 

Se você tem uma dúvida sobre investimentos, mande ela para mim por este link. Espero responder em breve. E me siga no Twitter @InvestigadorFin.

Um abraço,

André Zara.

A Inversa é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Antonyo Giannini, CNPI EM-2476

Conteúdo protegido contra cópia