Investigador Financeiro #67 - 300 mil em 4 anos. É possível?

Andre Zara Publicado em 20/07/2019
4 min
Comece devagar, respeite parâmetros de segurança, mas aposte na renda variável para maximizar ganhos

Olá.

Na semana passada eu respondi à pergunta do Carlos sobre como comparar os retornos do CDB e da Poupança.

Para minha surpresa, ele me enviou um e-mail agradecendo e explicando um pouco mais do seu caso, o que me deixou ainda mais preocupado. O Carlos disse:

“Eu cheguei a conversar com minha gerente sobre o Tesouro Direto, mas ela me aconselhou o CDB. Também tenho R$ 50 mil na poupança, que serve de parâmetro quanto ao rendimento do CDB.”

Carlos, sendo bem honesto com você: seus R$ 150 mil estão parados, não estão trabalhando para você! Claro que a sua gerente não quer que você invista no Tesouro, ou em qualquer outra aplicação, o banco não quer perder o seu dinheiro.

E isso terá um impacto direto no seu futuro. Essa é a importância de entender mais sobre o mundo dos investimentos, para não cair nessas pegadinhas. Fica aqui meu apelo ao Carlos e a você também, pois pode estar na mesma situação.

“Sou assinante da Inversa, tenho a assinatura de 3 séries, mas ainda não investi em nada, não por medo, mas por falta de experiência. Tenho o objetivo de acumular 300 mil em 4 anos, sei que o melhor para isso é ter uma carteira de investimento diversificada entre renda fixa e variável (tenho lido muito sobre o assunto). Estou começando do zero, mas com o propósito de investir mil reais por mês até dezembro desse ano, e 4 mil mensais a partir de fevereiro de 2020. O que você me sugere?” – Tissiane

Obrigado pela pergunta, Tissiane. Primeiramente, parabéns por estar focada em mudar a sua vida financeira e já ser assinante das séries da Inversa. Você, com certeza, está sendo muito bem orientada em relação às sugestões de investimento.

Por isso, as melhores indicações que posso te dar são: economize sempre, invista todo o mês e siga quem entende do assunto. É isso que fará você atingir a sua meta.

E posso falar isso por experiência própria, esses pontos fizeram toda a diferença nos meus resultados. Eles são meus mantras pessoais de investimento.

Eu comecei cauteloso: fiz minha reserva de emergência (com Tesouro Selic) e depois comecei a comprar títulos de renda fixa (Tesouro Direto pré e pós-fixados e CDBs). Depois passei para a renda variável até formar uma carteira completa. Hoje eu só preciso calibrar as proporções do meu portfólio com os meus depósitos mensais.

Confesso que os primeiros 100 mil reais foram os mais difíceis. Parecia uma eternidade até passar essa barreira, mas depois a coisa deslanchou. Dinheiro ajuda a fazer dinheiro: 10% de retorno, ao ano, sobre R$ 1.000 investidos são apenas R$ 100. Já 10% de R$ 100 mil são R$ 10 mil.

Outra coisa muito importante é definir o seu perfil como investidora. Isso vai fazer você dormir tranquila, sabendo que não está fora da sua zona de conforto.

Eu, por exemplo, nunca ultrapasso mais do que 30% dos meus investimentos em renda variável. Esse é o meu limite! Mesmo quando os especialistas aqui da Inversa me avisam que o mercado está ótimo, eu nunca quebro a minha regra.

Depois dessa parte teórica, vamos ao que interessa. Fiz uma simulação para você, usando o Tesouro Selic, com a meta de chegar aos 300 mil em 4 anos. Fiz com esse título, pois é o mais conservador e usa a taxa Selic como base.

Fonte: Tesouro Direto

Note que, começando com os mil reais que você falou, você precisaria fazer aportes de R$ 5.674,65 mensais. Ou seja, Tissiane, acima dos aportes de R$ 4 mil que espera fazer, no ano que vem.

Por isso, como você própria já entendeu, a importância de ter uma carteira completa e buscar melhores resultados, com ativos mais lucrativos de renda fixa e variável.

Comece devagar, fique dentro dos seus parâmetros de segurança, mas aposte na renda variável. Somente o ETF BOVA11, que segue o índice da Bolsa, já deu retornos de 13,5% neste ano.

Se você for disciplinada, com certeza, conseguirá atingir o seu objetivo. E a Inversa estará sempre ao seu lado para te ajudar.

Você também tem uma dúvida sobre investimentos? Envie para mim neste link. Espero responder em breve.

Um abraço,

André Zara

A Inversa é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Antonyo Giannini, CNPI EM-2476

Conteúdo protegido contra cópia