Investigador Financeiro #59 - Quem está cuidando do seu dinheiro agora?

Andre Zara Publicado em 25/05/2019
3 min
André Zara explica quais pontos você deve avaliar na hora de escolher um fundo de investimento

Oi.

Quem está cuidando do seu dinheiro agora? Você mesmo seleciona os seus investimentos ou terceiriza para o seu gerente do banco ou um consultor?

Se você lê esta newsletter com frequência, sabe dos riscos que as indicações erradas podem ter para o seu patrimônio.

Ao mesmo tempo, a ajuda de um profissional pode ter um efeito fantástico sobre os seus retornos, auxiliando você a construir um futuro melhor muito mais rápido. Que digam os assinantes da Inversa...

Mas o que fazer então? Cuidar você mesmo ou terceirizar? Essa é a questão. Confira abaixo a pergunta do leitor e tire as suas conclusões.

“Para quem não tem tempo e não entende de aplicação em Bolsa é melhor aplicar em fundos de ações?”. – Pedro P.

Obrigado pela pergunta, Pedro. Essa questão é muito interessante, pois é central para a maioria dos investidores.

Afinal, muita gente não tem tempo ou não quer se aprofundar no mundo dos investimentos. No fundo, a maioria das pessoas quer o benefício, o dinheiro no bolso, não exatamente o conhecimento.

Mas não tem problema. Quem não quiser se aprofundar vai, pelo menos, ter certeza de que está tomando a decisão certa, deixando sob os melhores cuidados, especialmente na renda variável.

Respondendo diretamente a você, Pedro, sim. Investir em fundos de ações pode ser uma boa. A questão é qual fundo escolher, com a melhor gestão e taxas envolvidas.

O primeiro item que você pode olhar são os ganhos passados do fundo, para checar a sua consistência, comparando com o Ibovespa, principal indicador da Bolsa. Mas vale sempre lembrar: ganhos passados não garantem retornos futuros. Mas já indicam um bom time trabalhando no fundo.

Em questão de taxas, existem custos de administração e performance, estabelecidos pelos próprios fundos. Os Fundos de Ações ainda têm alíquota de 15% de imposto de renda (IR), independentemente do tempo da aplicação. Mas não tem o come-cotas, que é a antecipação da cobrança do IR feita das aplicações.

Com esses dois elementos, comparando os ganhos passados de cada fundo e os seus custos, já dá para ter uma ideia da qualidade do fundo.

Deve-se levar em conta também os aportes mínimos para entrar, pois fundos considerados muito bons podem exigir altos aportes iniciais.

Se você quiser simplificar mais ainda a sua vida, pode investir por meio de um ETF, que é um fundo que investe em índices. Mas ele é negociado em Bolsa, como uma ação.

Existem vários disponíveis, como o BOVA11, que segue os ganhos do Ibovespa, ou o SMAL11, que acompanha o rendimento das small caps.

Essas duas maneiras de investir em renda variável vão facilitar a sua vida, se você não quer ter trabalho, mas sim o dinheiro no bolso.

Se você estiver interessado em fundos de investimentos, convido a ler a nova newsletter do Luiz Cesta, a Cesta & Fundos, todas as sextas. Nosso especialista vai te contar todos os detalhes desse universo e como escolher os melhores fundos para fazer seu dinheiro render mais.

Gostou desta newsletter? Então, envie para mim a sua pergunta sobre investimentos por este link. Espero responder a você, em breve.

Um abraço,

André Zara.

A Inversa é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Antonyo Giannini, CNPI EM-2476

Conteúdo protegido contra cópia