Inimigos do Investidor #19 - Por que os seus erros importam mais do que os acertos

André Barros, o "Money Maker" Publicado em 08/07/2020
1 min
Erros acontecem constantemente durante a trajetória como investidor: vou agora compartilhar com você porque devemos sempre aprender com eles.

Conteúdo disponível também em áudio e vídeo nas plataformas abaixo:

Apple Podcasts Google Podcast Spotify Deezer RSS Youtube

(clique para ver ou ouvir)

 

Olá leitor(a)!

Aqui é o André Barros, o Money Maker.

Na conversa de hoje, queria falar com você sobre um tema muito presente na nossa caminhada.

A forma pela qual encaramos esse ponto vai dizer muito sobre nossa chance de ter sucesso (ou não). 

Gostaria de falar sobre erros. Principalmente para quem está começando, olhando a trajetória como investidor e tem a tentação de que pode simplesmente eliminar desacertos.

Seja por estar melhor preparado, ou por ser mais prudente, ou ainda por ter uma preparação técnica superior.

A grande verdade é que ninguém vai estar livre dos erros. Você precisa começar a caminhada consciente disso: nem sempre os erros vão ser consequências das suas decisões. 

Eles podem ser consequência de fatores externos que tornaram aquela decisão não sendo a mais adequada em um momento posterior.

Precisamos ter essa consciência. Além disso, existe outro fator importante: no caminho de assumir riscos e buscar ganhos, também assumimos a possibilidade de ter erros.

Erros acontecem, mas não podemos deixar de aprender com eles

O desafio não é você ter uma caminhada sem erros, algo que não existe. O desafio é que seus erros tenham um custo muito menor do que os ganhos que você vai incorrer.

Os cenários, as decisões de investimento em bolsa são permeadas naturalmente por riscos, por incertezas. Você olha para frente e enxerga suposições, alternativas de cenários, que podem ou não se materializar.

O primeiro aprendizado que temos é esse: os erros vão acontecer. O desafio não é eliminá-los, mas sim minimizá-los: na conta geral, você deve ter mais acertos do que erros.

Parece trivial, mas não é

Até parece meio óbvio, mas muitos não tem esta percepção. Uma outra falha que acontece muito é que a maior parte das pessoas valorizam muito mais os acertos do que os erros: você vai ficar muito mais feliz com seus sucessos do que com os seus fracassos.

Por outro lado, a grande armadilha (até por esse viés de reforçarmos mais os acertos) é que nós acabamos deixando de lado a oportunidade de aprender com os erros.

Cuidado com esse viés de confirmação, de preferência ou sobrevivência. Até por uma questão de sanidade mental, preferimos cultivar e celebrar os acertos do que lembrar e aprender com os erros.

Nós temos a tendência de esconder os erros. Eles acabam se perdendo em nossos controles e planilhas. Precisamos ter uma maneira de fazer o registro do que estamos aprendendo, do que estamos acertando e errando. Por mais simples que seja. 

Em linhas práticas, é você registrar e aprender com esses erros. Se você faz isso, você está dando um passo adiante, está reduzindo a chance de voltar a incorrer naquele erro. 

A série Bitcoin, o Investimento da Década já está no ar.
Um ativo, 9.150.088% de valorização, 18 mil milionários feitos só com esta moeda digital... Veja agora mesmo.

 

Quando a gente olha o mundo que a gente vive hoje, as redes sociais, os grupos de WhatsApp, o Twitter – ou seja, todas as opções existentes para expor nossos sucessos e fracassos – é óbvio que as pessoas vão compartilhar muito mais sucessos do que fracassos.

Igual aquele ditado popular: “você vê as pingas que eu tomo mas não assiste aos tombos que levo”. 

E isso é verdade para todo mundo: para mim, para você, para o seu guru preferido da internet, para o seu mentor, para o seu assessor de investimentos, para o seu gerente do banco, para o seu amigo (aquele que vive comemorando o ganho que multiplicou a carteira dele).

Todos somos suscetíveis a erros, seja você, seu gerente, seu assessor de investimentos ou seu guru

Todos somos suscetíveis a erros, seja você, seu gerente, seu assessor de investimentos ou seu guru


Acho que quando eles compartilham os insucessos são muito mais uma maneira de reforçar os acertos do que de fato compartilhar as falhas para todos aprendermos juntos.

Cuidado com isso: este comportamento acaba gerando em nós essa mesma ansiedade. Logo, a vontade de somente compartilhar os sucessos.

Esse é um outro ponto que a gente acaba deixando os erros em uma gaveta esquecida juntos com outras operações.

Desta forma, a mensagem de hoje é simples: erros são inevitáveis e precisam ser balanceados (não eliminados).

Você precisa incorrer em algum risco e, com isso, vai ter alguns erros, para ter uma caminhada vitoriosa.

E você vai aprender com eles. No final do dia, não é ter zero erros, é ter muito mais acertos do que erros.

Essa era a minha mensagem para você. Vamos atrás de mais sucessos do que fracassos. Essa é a nossa verdadeira caminhada.

Vamos juntos?

Um abraço,

André Barros (Money Maker)

A série Bitcoin, o Investimento da Década já está no ar...
Um ativo, 9.150.088% de valorização, 18 mil milionários feitos só com esta moeda digital... Veja aqui.

A Inversa é uma Casa de Análise regularmente constituída e credenciada perante CVM e APIMEC.

Todos os nossos profissionais cumprem as regras, diretrizes e procedimentos internos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Instrução 598, e pelas Políticas Internas estabelecidas pelos Departamentos Jurídico e de Compliance da Inversa.

A responsabilidade pelas publicações que contenham análises de valores mobiliários é atribuída a Felipe Paletta, profissional certificado e credenciado perante a APIMEC.

Nossas funções são desempenhadas com absoluta independência, não sendo dotadas de quaisquer conflitos de interesse, e sempre comprometidas na busca por informações idôneas e fidedignas visando fomentar o debate e a educação financeira de nossos destinatários.

O conteúdo da Inversa não representa quaisquer ofertas de negociação de valores mobiliários e/ou outros instrumentos financeiros. Os destinatários devem, portanto, desenvolver as suas próprias avaliações.

Todo o material está protegido pela Lei de Direitos Autorais e é de uso exclusivo de seu destinatário, sendo vedada a sua reprodução ou distribuição, seja no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa, sob pena de sanções nas esferas cível e criminal.  

Conteúdo protegido contra cópia