Inimigos do Investidor #16 - Daytrade passivo

André Barros, o "Money Maker" Publicado em 10/04/2020
3 min
André Barros mostra o que é o day trade passivo e como você pode se beneficiar deste movimento

Caro leitor, 

Uma operação recente que realizamos no Money Maker em Ação me trouxe de volta o tema dos daytrades.

Havia sugerido a venda das ações da BR Malls (BRML3) e, já saindo do leilão de abertura, elas alcançaram o nosso preço sugerido de venda, na verdade um pouco acima até, atingindo R$ 10,05 - representando um ganho de mais de 19%.

O mais interessante nem foi o ganho, ou a alta que foi alcançada nesse leilão para concretizar a venda. Vou contar a você o que mais chamou minha atenção: no mesmo dia, a mesma ação devolveu praticamente toda valorização, fechando em surpreendentes R$ 9,15.

Em outras palavras, uma queda de quase 9% em um dia!

Oportunidade para um belo daytrade, não?

Bom, as razões de tamanha volatilidade não são o tema da nossa conversa de hoje. Queria mesmo aproveitar para falar um pouco com você sobre daytrades.

Esse seria um exemplo do daytrade que funciona para a minha estratégia e perfil de investidor. É o que chamo de daytrade passivo.

Retire aqui sua cópia do livro 1929: a quebra da Bolsa de Nova York, por Ivan Sant'Anna.

Passivo pois não entrei na negociação pensando numa operação desse tipo. Estava realizando um ganho de uma posição em carteira e o mercado ofereceu a oportunidade.

Bateu na porta esta possibilidade de fazer um ganho de 9% em um dia, como você viu. Menos do que um dia, já que teria sido aberta e encerrada dentro do próprio transcorrer do pregão.

Infelizmente não tenho as habilidades para ser um bom daytrader, confesso a você. Apesar de muito disciplinado, sinto que não é o suficiente.

Tenho receio também de ser levado pelo “jogo”. Além disso, não gostaria de ficar preso na tela do home broker por horas a fio e tampouco conviver com o stress que essas operações trazem consigo.

Não é que não acredite na possibilidade de ganhos nesse formato, apenas entendo que não é o melhor caminho para o meu perfil de investidor. Entender o seu perfil e, mais do que isso, o que funciona melhor para você, é fundamental, já que não há um único caminho para ganhar no mercado.

Por outro lado, este tipo de daytrade, que chamo de “passivo”, é bem-vindo quando surge. 

O sentido oposto, quando faço uma compra pensando em carregar e o dia me surpreende com uma valorização expressiva, também entra nessa “categoria”. O que ambas as situações tem em comum é que surgem de uma oportunidade em operações que não preciso encerrar no mesmo dia, reduzindo assim os riscos e a tensão de “ter que fechar” o trade.

Sim, tem razão se você considerar que o ganho será menor, pois não estou alavancado nessas operações. Porém esse é outro ponto que prefiro não utilizar em minhas negociações: alavancagem.

Mas afinal, fiz o daytrade nesse dia com as BRML3 que havia vendido?

Não. Minha sugestão aos assinantes foi de mantermos o caixa e esperar, já que em dias de volatilidade prolongada como os que estamos passando, não me surpreenderia ver uma oportunidade ainda melhor para recomprá-las mais adiante…

Vamos juntos?

Um abraço,

André Barros (Money Maker)

Se você está se perguntando como será do futuro, eu vou te mostrar… Saiba aqui.

Conteúdo protegido contra cópia