Gritty Investor #69 - Agora em A Carta

Pedro Cerize Publicado em 11/01/2019
4 min
A jornada até aqui


Oi.

Essa é a última Gritty Investor que escrevo. Agora vou me dedicar exclusivamente às edições da série A Carta. Eu sabia que esse dia chegaria. Num mundo inundado de informações e demandas constantes pela atenção das pessoas, sempre considerei um desafio escrever uma newsletter que ao mesmo tempo contivesse conteúdo, originalidade e simplicidade.

Me sentia como um minerador explorando um veio de metal precioso, feliz quando descobria algo valioso. Mas, ao mesmo tempo, melancólico, sabendo que um dia a escavação se esgotaria por aqui.

Esse dia chegou. Por sorte, durante o período em que escrevi as quase 70 Gritty Investors, o mercado ofereceu inúmeras oportunidades práticas de como usar o que eu tentava explicar. Um impeachment, uma recessão, uma bolha financeira (Bitcoin), incertezas políticas globais (eleição de Trump), ameaças de guerras nucleares (Coreia do Norte) e, principalmente, a eleição presidencial no Brasil.

Em menos de dois anos, uma década se passou.

Parece um roteiro de cinema, melhor ainda, de um seriado da Netflix que vai melhorando a cada temporada. Mas as melhores séries são aquelas que acabam na hora certa. Não quero me tornar uma “Lost” das newsletters financeiras. Prefiro ser lembrado como “Breaking Bad” e acabar no melhor momento.

Comprovei na prática o que o professor Feynman dizia: a melhor forma de entender algo é tentar ensinar alguém. E digo que com certeza eu aprendi muito mais escrevendo essas cartas que meus leitores lendo.

Se eu tivesse que resumir tudo que eu escrevi em poucas palavras, eu diria que assim como em outras áreas das ciências humanas, nem tudo que é complicado é bom e nem tudo que é simples é fácil. Investir bem é simples.

Mas não é uma tarefa fácil porque exige dedicação, disciplina e paciência. Para conseguir esses três atributos, o investidor precisa gostar de investir — não do resultado em si, mas do processo. Tudo que você fizer com paixão você vai fazer bem. Tudo que você fizer bem vai trazer recompensa financeira. No caso de investimento, a recompensa pode ser enorme.

Como já disse antes, se aposentar não é parar de trabalhar. Se aposentar é parar de trabalhar por dinheiro. Obviamente isso não é uma escolha para todos, mas pode ser uma meta para a maioria.

Eu sou investidor porque gosto do processo de investir. Ao longo do tempo fui eliminando as atividades associadas à minha profissão que eu não gostava.

Comitês, reuniões com investidores, questionários de due diligence, almoço com outros investidores saíram do meu dia a dia. Essas atividades antes consideradas importantes foram deixadas de lado e acho que, com isso, eu me tornei um investidor melhor, mas, com certeza, uma pessoa mais feliz. Esqueça o destino.

Aproveite a jornada. Se você não gosta de (ou não tem tempo para) estudar investimentos, pare agora e assine A Carta. Lá você vai ter um guia simples e eficiente para gerir seu patrimônio.

A Gritty nasceu como uma forma de transmitir de alguma forma minhas ideias e estreitar os laços com os leitores. Agora, seguirei fazendo isso nas edições da publicação A Carta. Para quem não conhece, A Carta oferece um guia simples e prático de como alocar seu patrimônio, com uma carteira de investimentos agressiva, uma moderada e uma conservadora para cada momento do mercado. Faço atualizações quinzenais dessas alocações.

A Carta reflete minha visão prática do mercado. E, em breve, vamos deixar de receber inscrições para A Carta nas condições atuais (então conheça agora neste link).

Um abraço,

Pedro Cerize

P.S.: Acompanhe as novidades da Inversa em seu e-mail. Já adianto que você ficará em ótimas mãos por aqui às sextas-feiras.

Conteúdo protegido contra cópia