Gritty Investor #54 - Missão: A Busca por um Mentor

Pedro Cerize Publicado em 22/06/2018
5 min
Quem realmente já escalou a montanha?

Gritty Investor

Oi.

Na semana passada viajei a St. Moritz, na Suíça, para fazer um treinamento com um técnico de triathlon chamado Brett Sutton. O lugar é uma pintura, uma obra de arte da natureza situada a 1.800 metros de altitude em um vale cercado pelos Alpes.

Mais conhecida por sua famosa estação de esqui no inverno, a região recebe outro público no verão: ciclistas de estrada e de mountain bike, triatletas, kitesurfers, adeptos da caminhada de montanha e corredores. É o local ideal para se treinar.

                            

Na época em que eu só corria, fui para Iten, no Quênia, ver de perto o que os quenianos faziam. Já quando fiz a mudança para o triathlon, decidi realizar a viagem a St. Moritz em busca de conhecimentos com o técnico mais consagrado da modalidade em todo o mundo.

Atualmente, entre seus atletas, estão Nicola Spirig, a medalhista de ouro em Londres e prata no Rio, e Daniela Ryf, três vezes campeã (2015/16/17) em Kona, na prova mais importante do Ironman.

Ao todo, aproximadamente 20 atletas profissionais estavam treinando em St.Moritz. Era a terceira vez que eu ia a um evento desses com o Brett. Mas, dessa vez, eu tinha uma missão.

Em 2016, no meu melhor ano no triathlon, e apesar de ter sido o primeiro colocado no ranking de pontos da Corporação Mundial da modalidade (WTC, na sigla em inglês) para a minha categoria, eu fui apenas o 11º colocado em Kona.

E o que realmente conta é Kona, que todos disputam juntos no mesmo dia e sob as mesmas condições.

Eu tinha treinado dentro do que eu considerava o meu limite, tinha feito uma prova sem erros e, ainda assim, fiquei longe da vitória. Mas, analisando por outro aspecto, o ganhador foi “apenas” 3 por cento mais rápido que eu.

Uma fórmula teria de haver para melhorar esses 3 por cento, e, em vez de tentar encontrá-la sozinho, eu decidi que o melhor seria falar diretamente com quem já fez e “produziu” vários campeões em Kona e em outras provas pelo mundo.

Uma das coisas mais legais do triathlon é que o atleta amador tem a oportunidade de competir no mesmo dia e local que as maiores estrelas do esporte. É como entrar em um jogo de futebol com Messi e Neymar, jogar tênis com Federer ou correr de Fórmula 1 com Fernando Alonso, Vettel e Hamilton.

Mas o meu objetivo agora era outro. Não era apenas entrar em campo com os melhores. Eu queria ser treinado pelo melhor. Alguém que realmente já tenha “escalado a montanha”.

O problema é que não é fácil ser aceito. Brett é uma figura, poderíamos dizer, excêntrica. Os seus métodos muitas vezes vão contra a “teoria” do treinamento tradicional. Muitos dizem que alguns de seus treinos são brutais, quase desumanos, fato que ele nega.

A verdade é que ele quer ganhar. Ele quer ser o melhor no que faz e extrair o melhor daqueles que ele treina. Já vi isso em outros setores e em outras pessoas: a busca da excelência pela excelência.

Fiz para ele o meu discurso e não vou revelar, nem sob tortura, quais foram meus argumentos. 

A boa notícia é que ele aceitou, e na segunda-feira o treino começa à distância. Mas, antes, ele me deu um aviso: It’s my way or no way. (É do meu jeito ou não tem jeito). E é com um misto de medo dos treinos e curiosidade em relação aos ensinamentos que inicio essa nova etapa.

O fato é que, não importa o que você faz e o quanto você sabe, sempre existe muito mais a ser explorado e aprendido. E sempre tem gente que sabe mais e pode te inspirar e ensinar a ser simplesmente melhor que você é hoje.

Acompanhe os comentários do Pedro em tempo real pelo Twitter!

E não deixe de escrever para gritty@inversapub.com dizendo o que achou da newsletter de hoje.

Um abraço,

Pedro Cerize

A Inversa é uma Casa de Análise regularmente constituída e credenciada perante CVM e APIMEC.

Todos os nossos profissionais cumprem as regras, diretrizes e procedimentos internos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Instrução 598, e pelas Políticas Internas estabelecidas pelos Departamentos Jurídico e de Compliance da Inversa.

A responsabilidade pelas publicações que contenham análises de valores mobiliários é atribuída a Felipe Paletta, profissional certificado e credenciado perante a APIMEC.

Nossas funções são desempenhadas com absoluta independência, não sendo dotadas de quaisquer conflitos de interesse, e sempre comprometidas na busca por informações idôneas e fidedignas visando fomentar o debate e a educação financeira de nossos destinatários.

O conteúdo da Inversa não representa quaisquer ofertas de negociação de valores mobiliários e/ou outros instrumentos financeiros. Os destinatários devem, portanto, desenvolver as suas próprias avaliações.

Todo o material está protegido pela Lei de Direitos Autorais e é de uso exclusivo de seu destinatário, sendo vedada a sua reprodução ou distribuição, seja no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa, sob pena de sanções nas esferas cível e criminal.  

Conteúdo protegido contra cópia