Gritty Investor #47 - Ame o processo, não suas ações

Pedro Cerize Publicado em 20/04/2018
5 min
Qual a melhor estratégia?

Gritty Investor

Oi.
     
Quando comecei a escrever a Gritty era simplesmente assustador imaginar como escreveria algo minimamente interessante sobre um tema árido toda semana. Olhando para o futuro, ainda acho difícil o desafio. Mas toda segunda-feira de manhã me reúno com a Olivia Alonso e o Frederico Rosas, publisher e editor da Inversa, respectivamente, e sempre surge uma ideia. Muitas dessas ideias vêm das perguntas de leitores como você. 
      
Hoje, vou abordar um tema recorrente: como tratar investimentos passados que estão “micados” na carteira? Qual a melhor estratégia? Zerar a posição agora com “prejuízo” ou aguardar mais um pouco para “recuperar” a perda? Já tratei desse tema antes, mas gostaria de voltar a ele hoje, pois estou convencido de que esse é o principal e mais comum erro entre pessoas físicas que começam a operar ações. 

Para explicar como eu acredito que você deveria se comportar em relação às suas ações, vou recorrer a um filme marcante na história das finanças globais: Como se fosse a Primeira Vez - uma comédia romântica, com Drew Barrymore e Adam Sandler.   

A trama do filme é simples: um cara (Sandler) encontra a garota dos seus sonhos (Barrymore) e se apaixona por ela. Mas a garota, apesar de parecer perfeitamente normal, tem um problema. Toda noite ela se esquece de tudo. No dia seguinte, ele é obrigado a fazer toda a corte para reconquistá-la. Meu conselho: daqui pra frente, comporte-se como a garota esquecida do filme. Você vai ser um investidor muito melhor.

Ela tem um problema de memória, mas não significa que não tenha nenhuma memória. Ela tem dentro dela um conjunto de valores que determina quais os elementos que busca num homem. Assim, a cada dia que esse homem aparece, ela recorrentemente se apaixona por ele. Isso explica por que o cara consegue conquistá-la todo dia. Os fundamentos (analista adora essa palavra) estão lá. Se um dia ele mudar, ela para de gostar dele e não vai estar influenciada pelas experiências passadas, ou seja, pela história do relacionamento até aquele dia. 
       
Muita gente comprou Petrobras no aumento de capital lá em 2008, quando as pessoas colocaram dinheiro e o governo colocou petróleo do pré-sal. Até hoje estão esperando o preço voltar ao valor nominal que pagaram 10 anos atrás. Essa é uma âncora absolutamente irracional. Seu objetivo na bolsa é ganhar dinheiro, e não ganhar na ação com a qual você perdeu dinheiro. Qualquer ação serve pra você. Você precisa desenvolver um conjunto de valores que determina o que uma ação deve ter pra te conquistar todos os dias.
      
Divido esses valores em três categorias principais.
     
Características do Negócio: Alguns negócios têm barreiras de entrada que fazem com que eles tenham um retorno superior ao longo prazo. Destaco: marca, canal de distribuição, custo elevado de substituição ou monopólios naturais. Essas características são mutáveis, mas tendem a se movimentar lentamente. Para isso, basta se fazer uma pergunta: essa empresa vai sobreviver e crescer nos próximos 10 anos?
     
Características da Gestão: Um negócio precisa de gestores com mentalidade de donos. Os interesses deles têm que ser os interesses dos acionistas. Devem também ser competentes no que fazem. Não necessariamente gênios, ungidos pelo toque de Midas e saudados nas capas de revistas de negócios. Melhor um burro que te carrega do que um cavalo que te derruba. Essa também é uma característica relativamente estável. Desconfie de empresas com trocas constantes na direção.
     
Preço da ação na bolsa: Essa é a variável que muda todo dia. De maneira geral, se você gosta das duas primeiras deve ser bem tolerante com a terceira. Não venda simplesmente porque está no lucro. Esse é o maior erro que você pode cometer. Pense como é raro encontrar uma pessoa de que você gosta. Para se desfazer do que você realmente gosta e que está dando certo, coloque um preço que faça você não gostar mais dela. E fique de olho… Depois que você vendeu, se o preço cair, você poderá voltar.

Esse é um princípio fácil de explicar, mas muito difícil de se aplicar. Vender algo com prejuízo mexe com nosso ego. É preciso admitir que você errou. Mas essa é a melhor coisa a fazer. Cada dia que você segura um erro, você comete o mesmo erro. Mesmo após 25 anos fazendo isso, vivo me policiando para não fazer novamente. Uma coisa que me ajudou muito foi parar de calcular o preço médio da minha posição. Como tenho várias posições, com o tempo não me lembro mais quanto paguei por cada ação.
       
Com isso, a cada manhã, olho pra minha carteira como Drew Barrymore olha pra Adam Sandler no filme: Interessante, será que vale a pena? Ao final de cada dia, na maioria das vezes, concluo que sim.

Acompanhe os comentários do Pedro em tempo real pelo Twitter!

E não deixe de escrever para gritty@inversapub.com dizendo o que achou da newsletter de hoje.

Um abraço,

Pedro

A Inversa é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Nícolas Merola - CNPI Nº: EM-2240

Conteúdo protegido contra cópia