Do Mercado #09: As consequências da crise energética

Rodrigo Natali Publicado em 05/07/2021
5 min
Na edição de hoje da newsletter Do Mercado, falarei sobre algo que vem se destacando nas manchetes: a crise energética. Veja as possíveis consequências...

Olá, investidores e amigos da Inversa,

Na edição de hoje da newsletter Do Mercado, falarei sobre algo que vem se destacando nas manchetes: a crise energética.

Cerca de 60% de nossa matriz energética, hoje, é concentrada em energia hidráulica. Agora, diante da maior crise hídrica dos últimos 91 anos, ela está ameaçada e já sentimos claros efeitos no presente e potenciais consequências bem sérias e importantes para o futuro.

Já começamos a sofrer essas consequências com a alta dos preços da energia, que tem efeitos diretos no bolso dos consumidores, bem como no custo de produção das empresas, que podem ser forçadas a trabalhar com uma margem de lucro menor ou ainda aumentar seus preços. 

Resumidamente, esse efeito limita o potencial do crescimento do nosso PIB. E esse tipo de medida também tem efeitos políticos imediatos: por ser uma medida pouco popular, naturalmente cria um incentivo para que o governo tome medidas populistas para tentar contrabalancear esses efeitos negativos.

Olhando para o futuro, fica a grande dúvida: voltará a chover até outubro ou novembro, ou a seca irá se manter e a ameaça de racionamentos e apagões se tornará ainda mais real?

Isso é extremamente relevante, pois, no primeiro cenário, de normalização, o governo entraria em um ano eleitoral com os preços de energia mais baixos, o que seria uma boa notícia, capaz de ajudar na campanha eleitoral. 

Mas o contrário é ainda uma possibilidade: se terminarmos o ano com o problema ainda não resolvido, o governo pode começar uma campanha com uma popularidade muito mais em baixa, o que tornaria o ambiente político ainda mais difícil de prever e traria mais volatilidade aos mercados.

A não ser que tenhamos uma surpresa positiva nos próximos meses, esse assunto tende a ganhar cada vez mais atenção conforme o tempo passa.

Você ficará por dentro de tudo, claro. Voltarei a falar sobre isso sempre que surgirem novidades relevantes para você e seu bolso.

Um abraço,

Rodrigo Natali

A Inversa é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Nícolas Merola - CNPI Nº: EM-2240

Conteúdo protegido contra cópia