Crypto Weekly #08: Commodities na blockchain? Sim!

5 min
Hoje vou falar sobre tokenização. É o assunto do momento e algo que as pessoas me perguntam com frequência. E eu vou ensinar você no detalhe.

Olá!

Seja bem-vindo(a) a mais uma edição da newsletter Crypto Weekly.

Eu sou Ray Nasser e hoje vou falar sobre tokenização.

É o assunto do momento e algo que as pessoas me perguntam com frequência. E eu vou ensinar você no detalhe.

Afinal, o que é tokenização?

Nada mais, nada menos que lastrear uma criptomoeda, ou seja, criar uma criptomoeda para lastreá-la a um ativo real ou até mesmo um ativo imaginário.

Com o lançamento do Ethereum, em 2015, pudemos ter pela primeira vez uma moeda programável; sim, o Ethereum é uma criptomoeda completamente programável! É como um papel em branco onde você pode escrever ou desenhar o que quiser.

Então podemos programar essa moeda para ser o que quisermos que seja?

Sim. Foi assim que nasceu a tokenização.

Hoje, você consegue lastrear uma moeda a imóveis, obras de arte, commodities, etc, tudo isso com muita transparência, muita auditoria, e dá liquidez para qualquer ativo antes considerados ilíquidos.

A tokenização te permite pulverizar e democratizar seus investimentos.

Por exemplo: você consegue tokenizar um ativo grande e caro, como um prédio, e criar uma criptomoeda que representa tal ativo. 

Se você é um padeiro, professor, advogado ou o que quer que seja, pode investir nesse prédio, em uma pequena porcentagem desse prédio.

E mais, você não apenas pulveriza e democratiza seus investimentos, mas saberá exata e imediatamente quanto determinado ativo vale, pode fazer os trâmites totalmente on-line, sem taxas de advogados ou emolumentos cartoriais, e com muito menos imposto, às vezes até mesmo sem imposto algum!

Outra grande vantagem está na tokenizacao de commodities. Na Argentina temos, por exemplo, o token SOYA, um grande caso de sucesso.

Por meio dele, a safra da soja na Argentina está tokenizada, incluindo a safra futura.

São tokens que te dão o direito de receber soja e funcionam como reserva de valor, já que a moeda da Argentina não para de cair.

Em posse desses tokens, você pode trocá-los com o fornecedor por soja ou até vendê-los para outro fazendeiro ou empresa que precise de soja. 

Para o produtor, dá uma liquidez imediata; para o comprador, é uma reserva de valor e dá o direito de trocar esse token quando quiser.

A tokenização é algo maravilhoso e está mudando o mundo como o conhecemos hoje.

Na Europa e nos EUA já tivemos hotéis e muitos outros imóveis tokenizados; eu mesmo participo de uma empresa de tokenização, queremos tokenizar imóveis em São Paulo. Os tokens darão direito a alugar um apartamento, por exemplo, sem pagar aluguel.

A tokenização muda fundamentalmente nossa maneira de investir em ativos e mais: se você tem determinado token, ele está com seu nome. 

Vamos supor que aconteça algo (bate na madeira!) e há uma guerra judicial sobre a quem pertence determinado imóvel: é só olhar para o token, que está na blockchain... e a blockchain é imutável

Você consegue ver a quem pertencia determinado token para inventário.

Com isso, os cartórios e toda a burocratização seriam obsoletos.

Você não precisaria mais tirar segunda via de nada, toda sua informação estaria na blockchain.

É um mundo muito interessante e disruptivo, cada vez mais e mais você verá notícias, novidades e informações.

E aqui, você ficará por dentro de tudo.

 

Um abraço,

Ray Nasser

A Inversa é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Nícolas Merola - CNPI Nº: EM-2240

Conteúdo protegido contra cópia