Seja bem-vindo!

Faça o login com sua conta e aproveite seus conteúdos exclusivos.

Entrar agora

Ainda não é cadastrado?

Crie sua conta

Vale: ainda dá tempo?

Neste relatório, comentamos o recente fato relevante divulgado pela companhia, anunciando uma distribuição robusta de proventos. Ainda dá tempo de recebê-los caso ainda não possua as ações da Vale? Confira.

Vale: ainda dá tempo?

Por Nícolas Merola
 

Na noite de ontem a antiga Companhia Vale do Rio Doce, hoje Vale, anunciou através de fato relevante uma distribuição robusta de proventos.

Esses proventos vão cem por cento em linha com os últimos relatórios diários publicados aqui, como o ”Vale é China e o “A Vale distribuiu 11,8 bilhões de reais em dividendos”.

Essa tese foi também reforçada nas nossas séries pagas, como a Top Trades (para conhecer a carteira Top Trades, clique aqui!), que recebeu um incremento no seu percentual de alocação ontem mesmo, antes do fato relevante ter sido divulgado.

Para entender, caso não tenha acompanhado os noticiários de ontem para hoje, no documento divulgado pela companhia é determinado como data limite o dia 22 de setembro para que os investidores se posicionem nas ações para serem contemplados com a distribuição de dividendos no valor aproximado de R$ 8,10 por ação no dia 30 de setembro.

Dado que o fechamento da cotação no pregão de ontem foi de R$ 87,93 esse dividendo, por si só, significa uma remuneração extra para o acionista de 9,2%.

Mas, pouco comentado pela mídia, o fato relevante não para por aí.

Além disso, a companhia anunciou o cancelamento de 152 milhões de ações que estavam entesouradas pela própria companhia. Isso significa que os próximos proventos por ação tendem a ser turbinados, pois o valor bruto distribuído será dividido em menos partes.

 

Conheça a carteira Top Trades, que já proporcionou 50% de retorno aos assinantes. Clique aqui para liberar seu acesso

 

 

Mais dividendos pela frente

 

Mesmo que recentemente a cotação do minério de ferro tenha caído quase 50% desde o seu pico mais recente, dos U$200 para próximo dos U$100, o potencial de geração de caixa da companhia continua relevante já que é a mineradora com o menor custo de produção no mundo. 

Apenas sobre os resultados ainda de 2021, acredito que a companhia ainda tenha potencial de distribuir pelo menos R$ 5,00 por ação, além desses R$ 8,10 anunciados ontem. O racional você pode conferir nos relatórios previamente citados.

 

A Inversa é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Nícolas Merola - CNPI Nº: EM-2240

Conteúdo protegido contra cópia