Momentos de prudência

5 de janeiro de 2022
Esconder uma preocupação debaixo do tapete, tirar uma ação que caiu da carteira e fingir que nada aconteceu nunca será algo que faremos, pelo contrário: vamos pecar sempre pelo excesso de transparência.

Momentos de prudência

Por Rodrigo Natali
 

Nós não somos torcedores, não temos candidato de estimação, não somos casados com cenário, não temos viés, na medida do possível.

Continuamos com nossa visão mais construtiva junto a certos ativos brasileiros, que vem performando muito bem, mas para sermos o mais claro possível, vamos salientar que na margem, existem informações novas que merecem atenção e pedem uma dose extra de parcimônia.

Recentemente, dois fatos novos vieram à mesa: que o nosso conhecido Guido Mantega vai ser o formulador da política econômica do candidato Lula, bem como deixou claro ser contra a reforma trabalhista e o testo de gastos.

Além disso, algo que não é um fato, mas uma percepção minha, as pessoas começaram a dar mais peso para o favoritismo desse candidato, o que teve impacto em diversas classes de ativos brasileiros, como dólar e mercados futuros de taxas pré-fixadas.

Esse tipo de deterioração não significa que é o começo de uma onda maior, acho inclusive que muitos ativos brasileiros já estão bastante baratos, mas não podemos deixar de encarar um fato novo, mesmo quando vai contra aquilo que gostaríamos.

Nosso papel aqui na casa não é comemorar vitórias e esconder preocupações, é tentar ser útil nos momentos de performance melhor ou pior, porque se temos uma certeza é que ao longo dos anos teremos desafios e oportunidades.

Esconder sujeiras debaixo do tapete, tirar uma ação que caiu da carteira e fingir que nada aconteceu nunca será algo que faremos, pelo contrário: vamos pecar sempre pelo excesso de transparência.

Dito isso, não estamos aqui falando que mudamos nem que não mudamos as nossas carteiras, esse segredo, fica apenas para os nossos assinantes.

 

Conheça o responsável por esta edição:

Rodrigo Natali

Diretor de Estratégia

Rodrigo Natali tem graduação e MBA pela FGV. É especialista em câmbio e macroeconomia, tem 25 anos de experiência no mercado financeiro, tendo passado por diversas instituições nacionais e internacionais, onde exerceu a profissão de trader e gestor de fundos de investimento multimercado.

A Inversa é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Nícolas Merola - CNPI Nº: EM-2240