Seja bem-vindo!

Faça o login com sua conta e aproveite seus conteúdos exclusivos.

Entrar agora

Ainda não é cadastrado?

Crie sua conta

Bolsa: bull ou bear market?

Ivan Sant'Anna e Marcelo Cerize Publicado em 15/09/2021
2 min
Afinal de contas, a bolsa brasileira está no ciclo de alta (do touro) ou já começou o ciclo de baixa (do urso)?

Bolsa: bull ou bear market?

Por Ivan Sant’Anna e Marcelo Cerize

 

Hoje, na reunião virtual que nós, especialistas e articulistas da Inversa, temos todas as manhãs, pairou uma dúvida:

Afinal de contas, a B3 está no ciclo do touro, de alta, ou já começou o clico de baixa, do urso?

Por enquanto, ainda há argumentos para os dois lados. E quais são essas alegações?

Quem responde é meu colega Marcelo Cerize:

Temos argumentos para crer que, definitivamente, não estamos num bull market, o que por si só, não caracteriza automaticamente um bear market.

Por isso, a pergunta mais importante que o investidor deve fazer é: Como se posicionar em um mercado ainda sem tendência definida?

O meu lado urso me diz que o índice IBOVESPA se afastou das máximas constantes, que estamos nos aproximando de ano eleitoral, o crescimento do PIB tem vindo aquém das previsões mais pessimistas e se aproxima de 0%, e que ainda corremos riscos de um apagão elétrico, que vivemos um ambiente inflacionário e a trajetória de juros é ascendente.

Como se vê, são muitas as razões para justificar um mercado de baixa. 

Já o meu outro lado, o de touro, argumenta que estamos saindo da pandemia, o pior da inflação já parece ter ficado para trás, somos um país exportador de commodities com tendência de alta.

Some a tudo isso o fato do preço/lucro (P/L) do IBOVESPA - que significa basicamente em quantos anos o lucro gerado pelas empresas da bolsa retornarão seu valor - se encontra em patamares abaixo de sua média histórica.

Resta agora saber se essa contração de múltiplos está antecipando um futuro ruim ou se, ao contrário, representa uma oportunidade para o investidor se posicionar para uma futura expansão de múltiplos em um ambiente de crescimento.

Como adivinhar o futuro é algo que nenhum investidor consciente faz, adaptar sua carteira com o desenrolar dos novos fatos é a melhor alternativa e não é por acaso que atualmente a Inversa recomenda em todas as suas séries de investimento muita cautela nesses movimentos, pois sabemos que o caixa não é infinito.

 

A Inversa é uma Casa de Análise regulada pela CVM e credenciada pela APIMEC. Produzimos e publicamos conteúdo direcionado à análise de valores mobiliários, finanças e economia.
 
Adotamos regras, diretrizes e procedimentos estabelecidos pela Comissão de Valores Mobiliários em sua Resolução nº 20/2021 e Políticas Internas implantadas para assegurar a qualidade do que entregamos.
 
Nossos analistas realizam suas atividades com independência, comprometidos com a busca por informações idôneas e fidedignas, e cada relatório reflete exclusivamente a opinião pessoal do signatário.
 
O conteúdo produzido pela Inversa não oferece garantia de resultado futuro ou isenção de risco.
 
O material que produzimos é protegido pela Lei de Direitos Autorais para uso exclusivo de seu destinatário. Vedada sua reprodução ou distribuição, no todo ou em parte, sem prévia e expressa autorização da Inversa.
 
Analista de Valores Mobiliários responsável (Resolução CVM n.º 20/2021): Nícolas Merola - CNPI Nº: EM-2240

Conteúdo protegido contra cópia